Pouco tempo após o Uber anunciar o programa de teste para carros autônomos em San Francisco, reguladores do Estado da Califórnia enviaram uma carta à companhia dizendo que eles “devem interromper” o projeto de veículos autônomos, inclusive ameaçando tomar ações legais, caso não obedecessem. As informação são da agência de notícias AP.

Google desiste de construir carro para se concentrar apenas em tecnologia para veículos
Como é fazer uma viagem em um dos carros autônomos do Uber

O California Department of Motor Vehicles (Departamento de veículos motores da Califórnia, em tradução livre) insiste que o Uber precisa de uma permissão para operar veículos autônomos, algo que a companhia não tem. Segundo o Uber, estas regras não se aplicam aos carros que ela disponibilizou nessa semana, que contam com um humano monitorando a viagem no banco da frente.

Carro autônomo do Uber conta com um motorista que pode assumir o controle, caso haja algum problema

A cidade de San Francisco seria a segunda dos Estados Unidos a receber o programa piloto de carros autônomos do Uber. A primeira foi Pittsburgh, na Pensilvânia.

Na teoria, operadores humanos podem intervir, se necessário. No entanto, em um vídeo foi possível ver um veículo que parece um dos carros autônomos da empresa passando o sinal vermelho. Em sua investigação inicial, a companhia disse que o carro em questão não fazia parte do programa de carros autônomos, mas um conduzido por um motorista humano.

“Este incidente ocorreu por falha humana”, disse um porta-voz do Uber ao Buzzfeed na quarta-feira (14). “Este veículo não era parte do programa piloto e não estava carregando passageiros. O motorista envolvido foi suspenso, enquanto nós continuamos a investigação.”

Independente disso ser verdade ou não, definitivamente não ajuda a empresa em sua argumentação contra as autoridades do Estado da Califórnia.

Fotos por AP