Após 21 anos liderando a área de servidores e Exchange e, mais recentemente, as equipes de Windows e dispositivos, o veterano vice-presidente Terry Myerson está deixando a Microsoft após um anúncio de restruturação nos negócios da empresa.

De acordo com a CNBC, o CEO da Microsoft, Satya Nadella, enviou um e-mail para os funcionários agradecendo Myerson pelos seus serviços e destacando os planos futuros da companhia.

A Microsoft tem um plano para agilizar a instalação de atualizações do Windows
• Microsoft vai desativar notificações em aparelhos com Windows Phone 7.5 e 8

O objetivo principal da reorganização da Microsoft será estabelecer duas novoas divisões dentro da companhia: uma equipe de experiências e dispositivos liderada por Rajesh Jha, e uma área de nuvem e inteligência artificial liderada por Scott Guthrie.

Com o passar dos anos, a equipe de experiências e dispositivo vai ser responsável pelo desenvolvimento do Office e do Windows, junto com a produção do Xbox, Surface e outros hardwares da Microsoft. Enquanto isso, o outro grupo vai se concentrar nos crescentes serviços corporativos da Microsoft, que inclui o Azure, soluções computacionais distribuídas, inteligência artificial, realidade mista, e mais.

Para o consumidor médio, o maior impacto é a promoção de Panos Panay, o cara responsável pelos dispositivos Surface, que agora será chefe de produto da Microsoft.

Sob a batuta de Panay, a Microsoft teve relativo sucesso com a expansão dos dispositivos Surface, que cresceu de uma linha de computadores conversíveis para modelos convencionais de laptop, aparelhos 2 em 1 sofisticados e até um desktop gigante com uma tela touchscreen ajustável. Ao mesmo tempo, os dispositivos Surface também tiveram uma maior integração com o Windows, graças a serviços como Windows Ink, Windows Hello e iniciativas entre plataformas do Xbox, que permite que usuários joguem em distintos dispositivos.

É lógico que a saída de Myerson vai causar alguma comoção. No entanto, a restruturação proposta pela Microsoft parece bem esperta. No entanto, considerando que a última grande mudança na empresa ocorreu em 2015, então dá para imaginar se não está ocorrendo mais coisas por trás das cortinas.

[CNBC]

Foto do topo via Terry Myerson/Twitter