A computação cognitiva é uma das fronteiras de tecnologia mais emocionantes da nossa época. É tentador pensar que poderemos, algum dia, criar um computador tão poderoso e tão eficiente quanto o cérebro – e o mais novo chip da IBM nos aproxima desse objetivo.

>>> A IBM está criando uma arquitetura computacional inteira baseada no cérebro humano

A Big Blue uniu neurociência e supercomputação para criar um novo chip com o tamanho de um selo de carta (lembra?!), mas que possui um milhão de neurônios e consome a mesma energia elétrica de um aparelho auditivo (cerca de 70 miliwatts).

O chip se chama TrueNorth: é a segunda geração de chips de computação cognitiva que a IBM criou, após uma década de trabalho para criar um computador inspirado no cérebro, com financiamento do programa SyNAPSE da DARPA (agência do governo americano que desenvolve tecnologias militares).

Para ter uma noção de como o TrueNorth é inovador: a primeira geração desse chip, lançada em 2011, imitava apenas 256 neurônios – e já era um salto enorme. Ele tinha 262.144 sinapses​​ (conexões entre neurônios) e apenas um núcleo; o novo chip tem 256 milhões de sinapses e 4.096 núcleos.

Esse avanço é boa notícia para as aplicações de chips inspirados no cérebro: por exemplo, óculos especiais para ajudar as pessoas cegas a ver, ou um robô que realiza missões de busca e salvamento. A nova arquitetura da IBM também integra memória, computação e comunicação para otimizar a velocidade.

chip ibm cerebro

O salto em especificações deixa a nova arquitetura TrueNorth muito mais poderosa, mas também é prova de que este tipo de tecnologia pode melhorar rápido. O cérebro humano é incrivelmente complexo, então o desafio de criar um computador com o poder de processamento do cérebro é insanamente difícil. Por exemplo, no ano passado, cientistas aclamaram o sucesso de um supercomputador em imitar 1% de atividade cerebral, durante apenas um segundo, usando 83 mil processadores.

O objetivo da IBM a longo prazo é construir um sistema neurossináptico de chips com dez bilhões de neurônios, e que não seja maior do que uma garrafa de refrigerante de dois litros. Se você acha que o salto de 256 neurônios para 1 milhão era grande, saiba que a IBM promete fazer alguns saltos ainda maiores. E ela precisa mesmo, caso queira replicar o cérebro humano: estima-se que ele tenha 86 bilhões de neurônios.

Mas os pesquisadores envolvidos no projeto, claro, já estão muito animados com o TrueNorth em si. “Este é um grande avanço de arquitetura, que é essencial à medida que a indústria se concentra rumo à nuvem… e ao big data”, diz Shawn Han, da Samsung, em comunicado à imprensa. O chip usa a arquitetura de 28nm da coreana.

O Dr. Dharmendra S. Modha, chefe deste projeto na IBM, diz ao Engadget que a empresa criou um circuito com 16 chips trabalhando em conjunto. Ou seja, são 16 milhões de neurônios processando instruções que normalmente seriam feitas por “racks e racks de computadores convencionais”.

Isso significa que seu smartphone será mais inteligente do que você em alguns anos? Provavelmente não… mas é um sinal forte de que estamos caminhando nessa direção. [IBM]