A NASA irá interromper a produção e os testes de seu próximo foguete e módulo de tripulação, em resposta à pandemia de COVID-19. A agência espacial quer usar os equipamentos em 2024, data em que uma missão para Lua está programada – no entanto, esse prazo pode ser prorrogado.

As atualizações do administrador da NASA, Jim Bridenstine, têm sido constantes nos últimos dias, à medida que a agência espacial (e várias outras agências e autoridades do mundo) se esforçam para lidar com a pandemia de COVID-19.

Na última mudança, as instalações de montagem Michoud em Nova Orleans e o Centro Espacial Stennis no Mississippi foram colocados na Fase 4 da Estrutura de Resposta da NASA, de acordo com uma declaração feita nesta quinta-feira (19). A mudança entra em vigor a partir desta sexta, 20 de março.

Isso significa que todos os funcionários da NASA que trabalham nestas duas instalações devem passar a fazer home office, exceto aqueles com funções relacionadas com segurança e proteção. Viagens também foram suspensas. As iniciativas têm como objetivo retardar a propagação do novo coronavírus que causa a COVID-19.

“A mudança em Stennis foi feita devido ao número crescente de casos de COVID-19 na comunidade ao redor do centro, ao número de casos de auto-isolamento dentro da nossa força de trabalho lá, e a um caso confirmado entre a nossa equipe”, disse Bridenstine. “Embora não haja casos confirmados em Michoud, a instalação está passando para a Fase 4 devido ao número crescente de casos COVID-19 na área local, de acordo com as diretrizes locais e federais.”

Imagem conceitual da nave OrionImagem conceitual da nave Orion, que será utilizada durante o programa lunar Artemis. Imagem: NASA

A classificação de Fase 4 também significa que a NASA terá que parar temporariamente a construção e testes do seu próximo Sistema de Lançamento Espacial (SLS, na sigla em inglês) – um poderoso foguete que foi projetado para levar astronautas à Lua e Marte.

O desenvolvimento também vai ser interrompido para a nave espacial Orion da NASA e os equipamentos relacionados. A SLS e a Orion são dois equipamentos críticos do programa lunar Artemis, que quer levar astronautas americanos à Lua em 2024.

Como Bridenstine explicou na sua declaração, a NASA vai realizar um encerramento sistemático de ambos os projetos, no qual os equipamentos inacabados serão colocado num estado seguro até que o trabalho possa ser retomado. Uma vez que a quarentena for iniciada, o único pessoal permitido em Michoud ou Stennis será aquele responsável pela proteção da vida e das infraestruturas críticas, de acordo com as diretrizes da Fase 4.

Estrutura de Resposta da NASA, do Estágio 1 ao 4.

Ainda é cedo, mas esses imprevistos podem representar uma pedra no sapato para o programa Artemis e para o planejamento para 2024, como solicitado pelo governo Trump. A programação já estava em dúvida, mas a COVID-19 pode ser o catalisador final que forçará as autoridades a colocar 2028 como ano alvo para uma nova aterrissagem na Lua.

“Sabemos que haverá impactos para as missões da NASA, mas à medida que nossas equipes trabalham para analisar o quadro completo e reduzir os riscos, entendemos que nossa prioridade máxima é a saúde e a segurança da força de trabalho da NASA”, explicou Bridenstine.

O Gizmodo contatou a NASA para saber se outros projetos serão afetados pelas iniciativas anunciadas na quinta-feira. Um porta-voz da agência disse que as interrupções do SLS e Orion são as únicas por enquanto, porém mais informações podem surgir, pois a COVID-19 está causando mudanças “muito rápidas”, segundo ele.

Na segunda-feira, a NASA anunciou que todas as suas instalações passariam a operar na Fase 3, resultando em interrupções em vários projetos. Como informou o Gizmodo, os projetos afetados incluíram o DCOTTS (um projeto que usa aeronaves para estudar a química e composição da atmosfera superior), o DeltaX (um levantamento aéreo e de campo do Delta do Rio Mississippi), e o S-MODE (um projeto que estuda os efeitos dos oceanos no clima).

Enquanto isso, o trabalho com a sonda Perseverance que irá para Marte continua a um ritmo acelerado. No último marco da missão, a sonda foi equipada com seu Sistema de Manuseio de Amostras, que permitirá que ela extraia amostras da superfície marciana e as armazene para futuras missões de recuperação e transporte para a Terra. Esses componentes foram instalados em 7 e 11 de março, o que parece ter sido há uma eternidade.

“Atualmente, o coronavírus não teve impacto no calendário de lançamento da sonda Perseverance”, de acordo com o comunicado de imprensa da NASA. “Os preparativos para o lançamento continuam.”

Se a situação permanecer assim, a Perseverance será lançada em algum momento no final de julho ou início de agosto de 2020. Mas com tudo o que está acontecendo em todo o mundo, é difícil prever,

Por fim, a NASA e a SpaceX ainda estão planejando lançar o teste Crew Dragon Demo-2 no início de maio, que envolverá dois astronautas da NASA. Se bem sucedido, o teste pode significar que a NASA finalmente terá capacidade de enviar astronautas para o espaço a partir do seu próprio solo – algo que a agência espacial não tem sido capaz de fazer desde o fim do Programa Space Shuttle, em 2011.