Quase um mês após o acidente que matou a diretora de fotografia de Rust, o filme continua envolvido em controvérsias. Os episódios vão de processo judicial feito por um membro da equipe, acidente com um funcionário com risco de perder o braço e um suposto plano de sabotagem.

A morte de Halyna Hutchins aconteceu no dia 21 de outubro em Santa Fé, capital do Novo México nos Estados Unidos. O ator Alec Baldwin estava ensaiando nas filmagens de Rust, quando atirou acidentalmente com uma arma de cena.

No dia 11, Serge Svetnoy que atuou como técnico-chefe de iluminação no set entrou com um processo contra empresas e indivíduos envolvidos com o filme. A ação, movida no Tribunal Superior de Los Angeles, acusa Baldwin, o diretor assistente David Halls, a responsável por armas Hannah Gutierrez Reed e outros de negligência que lhe causou “severo sofrimento emocional”.

Svetnoy era amigo de longa data de Halyna Hutchins (vítima fatal) e já haviam trabalhado em nove filmes juntos. Foi ele que a segurou quando foi ferida.

É o primeiro processo que vem à tona contra os envolvidos nas filmagens de Rust. Ele culpa os produtores do filme por, entre outras coisas, não terem contratado um armeiro competente e experiente.

A ação busca indenizações compensatórias e punitivas a serem apuradas posteriormente. Foi feito no Condado de Los Angeles porque o autor e a maioria dos réus moram lá.

Jason Miller, outro membro que trabalhava nas filmagens se acidentou gravemente, quase perdeu o braço.

Após declarar as paralizações das gravações, os funcionários estavam empacotando os equipamentos em Santa Fé, Novo México. Foi quando o perfurador de tubos e operador de lâmpadas Miller encontrou uma aranha que o picou.

“Em questão de dias, ele apresentou sintomas graves, incluindo necrose do braço e sepse. Foi hospitalizado e passou por várias cirurgias, enquanto os médicos fazem o possível para impedir a infecção e tentar salvar seu braço da amputação”, diz o IATSE – sindicato de trabalhadores do entretenimento – no site de arrecadação para arcar com os custos da hospitalização de Miller. Por sorte, Jason está respondendo bem aos tratamentos e não corre mais risco de perder o membro.

Na quarta-feira passada (10), a promotora que investiga o caso anunciou que rejeitou as teorias de conspiração pelos advogados de defesa de membros da equipe, sugerindo que a morte da profissional poderia ter sido resultado de um plano de sabotagem.

Jason Bowles, advogado da armeira Hannah Gutierrez Reed, disse que alguém pode ter sabotado o set de filmagem. “Não temos nenhuma prova”, disse a promotora distrital de Santa Fé, Mary Carmack-Altwies, à ABC News.

Sobre o acidente

A bala atingiu a diretora de fotografia Halyna Hutchins e o diretor Joel Souza. Eles  chegaram as ser socorridos, mas Hutchins acabou morrendo, enquanto Souza recebeu alta.

Desde que o caso aconteceu, o filme do gênero velho oeste se tornou alvo de polêmicas envolvendo denúncias de más condições e precariedade.

Por enquanto, o caso está sendo investigado e as gravações de Rust foram paralisadas.

[CNN] [npr] [The Independent] [The Guardian]