Nesta semana o diretor de O Esquadrão Suicida e Guardiões das Galáxias Vol.3, James Gunn, comentou um pouco sobre a relação da Marvel com o Pentágono.

Esta polêmica surgiu  após Jesse Hawken, do podcast Junk Filter, comentar que uma determinada cena de Eternos (contém leve spoiler!) aconteceu porque foi aprovada pelos militares.

“Os scripts da Marvel não são todos aprovados pelo Pentágono. De onde as pessoas vêm com esse absurdo?”

Um internauta questionou se todos os roteiros precisam da aprovação do exército, e Gunn negou. “Quando um filme usa recursos militares gratuitamente, esses roteiros específicos precisam obter aprovação militar para garantir que os militares não sejam menosprezados. São poucos os filmes – e, pelo que eu sei, os militares são muito abertos sobre isso.”

O diretor continuou.

“Isso é tão estupido. O cara disse que todos os filmes da Marvel são pré-aprovados pelos militares. Isso não é verdade. Dizer que alguns filmes em Hollywood obtêm aprovação em troca de ativos não torna isso menos verdadeiro. Eu nunca tive um filme aprovado pelos militares.”

Segundo o Winter is Coming, a Marvel tem uma longa história de promoção dos militares ou de envolvimento com o Pentágono em algum nível. Isso aconteceu em Hulk (2003), nesse caso eles ofereceram acesso as bases e veículos e em Em Capitã Marvel,  a heroína era das Forças Armadas, o longa de 2019 usou as aeronaves militares e usou a tropa como figurantes.

Assine a newsletter do Gizmodo

Eternos é o novo filme da Marvel (MCU), chega aos cinemas em 4 de novembro.