Com a Covid-19 diminuindo nos EUA e as pessoas retornando aos seus velhos hábitos, as doenças contagiosas rotineiras estão, previsivelmente, voltando após um ano sendo suprimidas por precauções adotadas no enfrentamento da pandemia.

Na quinta-feira (10), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) emitiu um comunicado de saúde para médicos no sul dos Estados Unidos, alertando-os sobre um recente aumento nos casos de vírus sincicial respiratório (RSV em inglês). No texto, eles pediram “testes mais amplos para RSV entre pacientes que apresentam doença respiratória aguda com teste negativo” para Covid-19.

O RSV não é a única infecção comum que parece estar aumentando. As autoridades de saúde em Minnesota também alertaram sobre um aumento “significativo” no norovírus, germe altamente contagioso de origem alimentar. No período de uma semana, as autoridades de saúde de Seattle relataram não um, mas dois surtos de norovírus em King County. Connecticut experimentou seu próprio cluster de norovírus no mês passado. Mais do que isso, de acordo com os dados de vigilância nacional, tanto o RSV quanto o norovírus viram um aumento recente na detecção em laboratórios de teste, pelo menos em algumas regiões. 

Essas doenças não são totalmente inofensivas, principalmente para grupos mais vulneráveis. O RSV é a principal causa de pneumonia em crianças com menos de 1 ano de idade e esforços têm sido contínuos na tentativa de encontrar uma vacina eficaz . E como qualquer um que teve o azar de ter contraído o norovírus bem sabe, não é o tipo de doença que geralmente mata, mas seus sintomas de vômito, diarreia e cólicas estomacais causam um grande estrago.

Ainda assim, para a grande maioria da população, o RSV é pouco mais que um resfriado comum, e nenhum impacto típico da doença se compara à destruição causada pelo coronavírus, que matou pelo menos mais de 600 mil americanos no último ano e meio. (De acordo com o CDC, o RSV mata em média 14 mil americanos por ano – embora seja provavelmente uma contagem inferior – e o norovírus mata em média 900 mil).

A pandemia teve uma pequena fresta de esperança na medida em que reduziu a incidência de mais infecções comuns, incluindo a gripe sazonal, em grande parte pela mudança de nosso comportamento. O distanciamento e outras intervenções como o uso de máscaras, embora não sejam infalíveis para impedir a disseminação da Covid-19, reduzem a quantidade de outros germes que expelimos nos rostos uns dos outros ou na comida.

Assine a newsletter do Gizmodo

É claro que todo esse cuidado adicional veio sem seus fardos, e muitas pessoas, especialmente as vacinadas, ficam felizes em voltar aos velhos hábitos. Apesar de algumas preocupações válidas sobre o surgimento de novas variantes do coronavírus como o Delta, encontrado pela primeira vez na Índia, e a taxa lenta de vacinações diárias nos Estados Unidos e no mundo, a pandemia continua em declínio nos Estados Unidos. Mas, de maneira geral, infelizmente, continuará sendo uma ameaça até que as taxas de vacinação sejam altas em todos os lugares.