Empresas parceiras do Facebook em seu projeto de criptomoeda Libra estão ficando nervosas

Pelo menos duas das 28 entidades que participam do consórcio da moeda Libra, do Facebook, estão ficando nervosas com o projeto, de acordo com uma nova matéria do Financial Times. E o Facebook está preocupado em ser a única empresa a colocar o seu na reta, já que os reguladores estão criticando duramente o plano […]

Letreiro do Facebook em uma parede cinza.

Foto: Getty Images

Pelo menos duas das 28 entidades que participam do consórcio da moeda Libra, do Facebook, estão ficando nervosas com o projeto, de acordo com uma nova matéria do Financial Times. E o Facebook está preocupado em ser a única empresa a colocar o seu na reta, já que os reguladores estão criticando duramente o plano de criar uma nova moeda digital do nada.

As empresas, que estão sendo chamadas por alguns de “criptomáfia”, incluem grandes nomes do Vale do Silício e de Wall Street, como Uber, Spotify, Visa e Mastercard. Eles são todos parceiros da Libra Association, uma nova organização com sede na Suíça que está sendo examinada por governos de todo o mundo.

O presidente do Banco Central dos EUA, os reguladores antitruste da União Europeia, o ministro das Finanças da França, o Comitê Bancário do Senado dos EUA, o Comitê da Câmara dos EUA sobre Serviços Financeiros e o Secretário do Tesouro dos EUA, todos eles expressaram dúvidas sobre Libra. Por isso, é fácil entender por que alguns as empresas podem estar com medo.

Mas essas empresas não estão preocupadas apenas com o futuro de Libra como moeda digital. A principal preocupação deles, na verdade, parece ser que os reguladores possam querer olhar mais fundo para os principais negócios de cada empresa depois de eles acabarem de quebrar a Libra.

Do Financial Times:

Dois dos apoiadores fundadores do projeto disseram ao FT que estavam preocupados com os holofotes regulatórios e que estavam considerando cortar os laços. Outro patrocinador disse que eles estavam preocupados em apoiar publicamente a Libra por medo de atrair a atenção de agências que supervisionam seus próprios negócios.

“Acho que será difícil para os parceiros que querem manter a imagem de compliance [com seus próprios reguladores] estarem lá apoiando [Libra]”, disse um dos sócios fundadores.

Como os apoiadores de Libra não se manifestaram em apoio à moeda digital, o Facebook, por sua vez, ficou exasperado com os membros, de acordo com duas pessoas próximas ao projeto.

Outro apoiador disse ao Financial Times que não havia planejamento suficiente para que a organização anunciasse planos para Libra. Ficou claro que ninguém dentro do grupo previu a quantidade de escrutínio regulatório que esta iniciativa acabaria por receber.

A Libra tem sido um show de horrores até agora, apesar do fato de nem sequer ter sido lançado. Golpistas estão usando Libra como uma maneira de atrair vítimas no YouTube, a maioria dos reguladores financeiros dos EUA está cética em relação ao projeto, e o congressista democrata Brad Sherman chegou a dizer que a criptomoeda do Facebook poderia ser pior do que os ataques terroristas de 11 de setembro.

Algo cheira mal em todo o empreendimento, para dizer o mínimo, e quase ninguém acha que a Libra seja uma boa ideia. Como inúmeras pessoas apontaram, ela vai usar o blockchain sendo que nem precisa estar no blockchain. E essa nova matéria do Financial Times deixa claro que até mesmo pessoas de dentro não têm certeza sobre o futuro de Libra. E se há algo que os líderes financeiros globais amam, é incerteza.

Sair da versão mobile