A escassez de chips está afetando diversos segmentos da indústria — e o setor automobilístico é uma das mais prejudicadas. Por conta da crise, a BMW está deixando de usar telas sensíveis ao toque em muitos de seus novos carros. A informação foi confirmada pela montadora aos sites especializados Edmunds e AutoBlog.

Apesar de outras fabricantes de automóveis terem pausado a produção ou cortado certos recursos eletrônicos de seus carros, a decisão da montadora alemã impressiona. Afinal de contas, telas sensíveis ao toque são um recurso padrão em carros atuais. E não ter uma interface do tipo compromete a interação do usuário com o veículo — algo especialmente importante em modelos de luxo.

Os modelos que passam a vir de fábrica sem touchscreen são:

G20 3 Series
G22/G23 Série 4 Coupé e conversível
G26 4 Series Gran Coupe (excluindo i4)
G29 Z4
G05/G06/G07 (todas as variantes)

Segundo o site BimmerFest, alguns modelos, como sedans da Série 3 e os SUVs/crossovers X5, X6 e X7 também perderão o acesso ao recurso de “assistente de backup”, que dá um relatório sobre a conduta do motorista frente ao volante.

A perda desse recurso deve influenciar no preço dos carros. Os veículos enviados sem tela sensível ao toque virão com um crédito de US$ 500 e exigirão uma atualização de software. O cliente deve assinar um formulário com o revendedor para confirmar que está ciente da exclusão do recurso.

Assine a newsletter do Gizmodo

Em vez do painel ao sensível ao toque, os usuários terão que navegar pelo iDrive (a interface com o carro) por botões no console central. Eles possuem recursos semelhantes aos do touchpad e são uma opção que aparece em modelos de entrada.

Além da BMW, a GM também abandonou recursos como rádio HD e carregamento sem fio embutido. Em alguns modelos foram tirados também alertas eletrônicos importantes, como módulos de gerenciamento de combustível e parada automática.