Todos temos uma geladeira em casa para evitar que nossas sobras não estraguem, mas ela nem se compara à mais nova criação do NIST (espécie de Inmetro dos EUA) com apoio da NASA.

Este minúsculo protótipo quântico, com apenas alguns centímetros, tem a mesma potência de um ar-condicionado que resfria uma área de 400.000 m².

O pequeno frigorífico é especializado em refrigerar coisas a temperaturas absurdamente baixas – cerca de 0,3 Kelvin, algo próximo ao zero absoluto. Normalmente, quem precisa fazer isso tem que recorrer a um equipamento grande com um monte de hélio líquido.

Em vez disso, este pequeno dispositivo usa 48 pedaços minúsculos de metal, uma camada de isolamento com apenas 1 nanômetro de espessura, e um metal supercondutor como elementos de refrigeração. Quando ele é ligado à eletricidade, os elétrons criam um túnel entre o metal e o supercondutor, reduzindo a temperatura do metal e resfriando o que estiver na máquina.

O líder do projeto, Joel Ullom, diz que:

“Este é um dos resultados mais espantosos que eu já vi. Usamos mecânica quântica em uma nanoestrutura para resfriar um bloco de cobre. O cobre é um milhão de vezes mais pesado do que os elementos de refrigeração. Este é um raro exemplo de uma máquina nanoeletromecânica que consegue manipular o mundo macroscópico.”

Por enquanto, o processo de resfriamento leva cerca de 18 horas, mas os pesquisadores esperam que versões futuras consigam reduzir este tempo, além de aumentar o poder do frigorífico para atingir 0,1 K.

Enquanto isso, o mundo da tecnologia para consumidores tem coisas bizarras como ar-condicionado Full-HD e geladeiras com NFC. A gente usa o que tem, afinal. [NIST via Popular Mechanics]

nist1

Crédito da imagem: Schmidt/NIST