O gosto pela astrologia se tornou popular como nunca. Só tem um detalhe: ela não tem nada de científica.

Pensando em investigar mais a fundo o que leva pessoas a acreditarem que o movimento dos astros tem algo a ver com quem somos, pesquisadores da Universidade de Lund, na Suécia fizeram um estudo científico sobre a personalidade de fãs de signos. E descobriram que narcisismo e baixa inteligência estão relacionadas à crença em astrologia.

“Existe crença infundada de que grandes bolas de gás a milhões de quilômetros de distância estão influenciando seu dia”, resumiram os autores do estudo, publicado na revista científica Personality and Individual Differences.

O objetivo do estudo sueco era investigar se os traços de personalidade individuais das pessoas podem ter a ver com a crença em “teses astrológicas infundadas”.

Três pesquisadores da Universidade de Lund assinam o estudo: Ida Andersson, Julia Persson e Petri Kajonius. A equipe coletou mais de 200 respostas por meio de um questionário online. Os participantes foram avaliados por categorias, e avaliados em relação à crença em astrologia, sua personalidade, inteligência e uma avaliação específica para narcisismo.

“Os resultados mostraram que quanto maior o narcisismo, maior a crença na astrologia. Essa associação possivelmente acontece devido à visão de mundo egocêntrica que os une, embora isso deva ser examinado em pesquisas futuras”, escreveram os pesquisadores.

Quanto ao motivo de os narcisistas serem mais propensos a acreditar na astrologia, a equipe diz ter algumas sugestões. Narcisistas eram mais propensos a concordar com a afirmação de que a astrologia é apoiada pela ciência. O teste sugeriu que eles são mais “resistentes aos fatos”, logo, acreditam em coisas que podem não ser reais só porque querem fazê-lo.

Assine a newsletter do Gizmodo

Os pesquisadores também ressaltaram que, em épocas de estresse, as pessoas tendem a adotar crenças infundadas visando diminuir a carga dos problemas. Diante disso, não é surpresa que a crença esteja aumentando nos últimos anos — principalmente durante a pandemia de Covid-19.

“Embora abraçar a astrologia possa parecer inocente, é possível que facilite o pensamento acrítico e favoreça os preconceitos. Além disso, a crença na astrologia se correlaciona com a crença em várias outras pseudociências, bem como com em teorias da conspiração — o que indica que ela pode não ser tão inofensiva”, escreveu a equipe no estudo científico.