No começo da pandemia de Covid-19, houve uma queda rápida no fornecimento de itens domésticos. Logo em seguida, aparelhos como webcams e laptops ficaram difíceis de encontrar. O papel higiênico não é mais um problema, mas grandes empresas de hardware como Qualcomm, AMD e Sony alertam que a escassez de chips continuará a ter impactos durante 2021.

Durante a teleconferência de resultados do primeiro trimestre de 2021 da Qualcomm, o novo CEO, Cristiano Amon, alertou os investidores sobre a escassez de chips “em toda a indústria”. Amon disse que essa falta não se limita apenas a chips novos ou sofisticados, mas também a processos de fabricação mais antigos usados ​​para fabricar chips para mercados mais amplos, como automotivo e de redes.

A escassez de chips afetou a indústria automobilística de forma tão aguda que, em uma carta obtida pela Reuters, a Alemanha recentemente entrou em contato com o governo taiwanês para pedir ajuda obter fornecimentos para componentes usados em carros. O ministro da Economia alemão, Peter Altmaier, nomeou especificamente a Taiwan Semiconductor Manufacturing Co (TSMC) em seu pedido.

“Eu ficaria satisfeito se você pudesse abordar este assunto e reforçar para a TSMC a importância de capacidades adicionais de semicondutores para a indústria automotiva alemã”, escreveu Altmaier.

A pandemia tornou as pessoas mais cautelosas em relação ao transporte público, o que impulsionou as vendas de automóveis, mas a escassez de chips automotivos também foi ampliada por uma série de restrições e proibições impostas aos fabricantes chineses pelo governo Trump.

Na verdade, a escassez de chips automotivos piorou tanto que, nesta semana, a GM anunciou que será forçada a interromper por uma semana a produção em quatro de suas fábricas a partir de 8 de fevereiro. Outras duas fábricas devem operar com metade da capacidade durante esse tempo.

No setor de computadores, os grandes lançamentos de CPUs e GPUs da Nvidia e da AMD no fim do ano passado foram afetados por limitações de fornecimento. A CEO da AMD, Lisa Su, disse durante um recente anúncio dos resultados financeiros da empresa que espera que a escassez ou “aperto” no fornecimento de chips continue ao longo da primeira metade de 2021, especialmente quando se trata de PCs de baixo custo e equipamentos para jogos (tanto PCs quanto consoles).

Quem queria um dos consoles de última geração lançados no fim do ano passado está enfrentando problemas contínuos de abastecimento tanto do PS5 quanto do Xbox Series S e X. A Microsoft pediu ajuda à AMD recentemente, mas mesmo assim, as dificuldades no fornecimento devem durar até o meio do ano.

Mesmo componentes como a RAM foram atingidos, após duas interrupções nas fábricas da Micron, que obrigaram a empresa a ficar parada duas vezes em dezembro.

Quando perguntei a vários fornecedores de PCs durante a CES 2021 sobre outras causas para a escassez de chips, um sentimento comum que ouvi foi que, no início da pandemia, muita gente comprou laptops baratos ou acessíveis (principalmente Chromebooks) como medida provisória para trabalhar de casa ou ajudar nas aulas online.

No entanto, como a pandemia ainda não está sob controle e muitas pessoas ainda devem ficar confinadas em casa, elas estão procurando soluções mais permanentes, o que causou uma segunda corrida em dispositivos de consumo como laptops, monitores e webcams.

Portanto, embora possa haver um fim à vista para a escassez de chips para o meio do ano, os próximos meses podem ser difíceis para quem quer comprar um computador, um console ou até mesmo um carro.