A nova onda no mundo da tecnologia é reclamar da Apple. Parte da ira vem de pequenos desenvolvedores frustrados, pois a empresa fica com uma grande porcentagem da sua receita. No entanto, o que causa surpresa é o número de gigantes da tecnologia que agora tem apontado seus dedos contra a empresa — incluindo o Facebook.

Uma reportagem exclusiva do The Information revela a profundidade da animosidade do Facebook em relação à Apple. Segundo o chefe do Messenger, Stan Chudnovsky, a Apple recusou a ideia de que usuários do iPhone pudessem escolher o app como ferramenta padrão de mensagens no aparelho. Chudnovsky revelou que o Facebook pediu isso múltiplas vezes ao longo dos anos, uma vez que isso é possível no Android. Porém, a Apple sempre disse não.

“Achamos que as pessoas deveriam ter o direito de usar diferentes apps de mensagem e escolher o que elas quiserem como padrão”, disse Chudnovsky ao The Information. “De forma geral, tudo está indo nesta direção.”

Algumas pessoas querem usar o app de mensagens que vem no seu celular. Outras gostariam de substituir pelo Messenger ou outro serviço. As duas situações são válidas, e é este o ethos da plataforma Android. Mas a fixação da Apple em segurança e privacidade cria um “cercadinho” que limita a escolha do consumidor.

Chudnovsky disse ao The Information que se a Apple tivesse uma abordagem parecida com a do Android no iPhone, o Facebook poderia competir de forma mais justa no mundo dos aplicativos de mensagem.

Eu sei que é difícil ter simpatia pelo Facebook, mas a gigante das mídias sociais não é a única a ter problemas com as políticas da Apple.

Uma nova coalizão dedicada a práticas mais justas de competição no ecossistema de aplicativo foi lançada nesta semana, juntando diversas companhias que são contra as políticas da Apple, como a Epic Games, que desenvolve o jogo Fortnite.

Da parte do Facebook, a empresa teve uma pequena vitória contra a Apple nesta semana. Segundo o The Verge, a Apple vai temporariamente parar de receber 30% da receita dos eventos que vendem ingressos e entradas pelo Facebook. A companhia contestou a empresa da maçã desde que lançou este recurso para eventos que, basicamente, ajuda pessoas e negócios a faturarem uma grana por meio da contribuição das pessoas.

Por outro lado, a Apple não permitirá que usuários do iPhone joguem via Facebook Gaming, citando suas diretivas da App Store sobre streamings de games baseados na nuvem. O Facebook teve de lançar seu app sem games no iOS para ser aceito na loja.

Importante lembrar que o Facebook não está apenas sendo investigado por práticas antitruste pelo Departamento de Justiça dos EUA junto com a Apple. A companhia de Mark Zuckerberg tem vários outros problemas: como censurar a liberdade de expressão de funcionários; não agir contra eventos de grupos violentos; ignorar esforços de manipulação de eleições; e coletar e armazenar dados biométricos de usuários sem o consentimento deles — só para citar alguns problemas.

Se esta briga entre gigantes da tecnologia está começando a encher sua paciência, saiba que você não é o único. O Facebook tem direito de estar frustrado com a Apple? Sim. Mas a empresa tem tantos problemas que talvez não seja o melhor representante de uma briga contra por políticas mais justas.