O Facebook lançou um aplicativo específico para jogos para Android em abril, mas, por mais que tente, a empresa não consegue convencer a Apple a permitir que ele esteja na App Store. A rede sociao enviou o aplicativo para aprovação cinco vezes, segundo o New York Times, e ele foi rejeitado em todas. O motivo? A Apple não permite aplicativos que sejam essencialmente vitrines para a distribuição de jogos casuais em sua App Store.

Não é de surpreender que a Apple tenha rejeitado o Facebook Gaming, já que a empresa possui sua própria plataforma de jogos, o Apple Arcade, focada na distribuição desse tipo de games. O Facebook Gaming parece competir com o o serviço da Apple, que faturou US$ 15 bilhões de receitas no ano passado, o que poderia ser a razão para as seguidas rejeições ao aplicativo.

O Facebook distribui jogos desde 2010, mas esse nunca foi o foco principal da plataforma. O mesmo poderia ser dito sobre seu novo app de jogos, que seleciona todo o conteúdo de jogos da rede social e o coloca em um só lugar.

Além de permitir que seus usuários acessem e joguem games casuais, o app de jogos do Facebook também filtra o conteúdo de vídeo de qualquer grupo relacionado a jogos que você segue no seu feed.

Atualmente, o Facebook Gaming para Android está cheio de transmissões de vídeo de Overwatch. Há uma guia separada que permite explorar o conteúdo de streaming com base em streamers favoritos, jogos e algumas outras categorias. A primeira coisa que vejo quando abro o app são vídeos de pessoas transmitindo GTA 5, The Last of Us, Fortnite — tem tanto transmissões ao vivo como gravadas.

A Apple inicialmente negou o Facebook Gaming, segundo fontes do New York Times, porque o app violou a seção 4.7 das regras da App Store, que afirma que jogos em HTML5 são permitidos desde que “o código não seja oferecido em uma loja ou interface semelhante à loja”. As pessoas consultadas pela reportagem disseram que o Facebook redesenhou seu aplicativo de jogos para a App Store várias vezes, removendo completamente a capacidade de os usuários procurarem e jogarem jogos, mas ainda assim a Apple negou a solicitação do Facebook.

O Facebook não é a única empresa a ter problemas com as regras da App Store. Os desenvolvedores de um novo aplicativo de e-mail, Hey, estão enfrentando publicamente a Apple após terem sido rejeitados por oferecer pagamento de recursos premium fora do app como forma de evitar a taxa de 15% a 30% que a Apple recebe em compras feitas via aplicativo — também conhecida como “imposto da Apple”.

O desenvolvedor David Heinmeier Hansson disse que a Apple só aprovará uma atualização do Hey se ele concordar em ativar as assinaturas dentro do app, que ficariam sujeitas à participação na Apple nas receitas. Mas outros aplicativos conseguem evitar pagar à Apple por meio de assinaturas externas, o que Hansson afirma ser injusto.

Atualmente, a Apple está sob investigação na União Europeia por violações antitruste por supostas práticas que impedem a livre concorrência. A reclamação tem relação com este “imposto da Apple”, que apps próprios da empresa não pagam, só os desenvolvedores independentes. Ao anunciar a investigação em um comunicado, a vice-presidente executiva da Comissão Europeia, Margrethe Vestage, disse que a Apple “tem um papel de controladora”, referindo-se a como a empresa decide quais apps serão permitidos em sua loja.

“Precisamos assegurar que as regras da Apple não distorçam a concorrência nos mercados em que a Apple compete com outros desenvolvedores de apps, por exemplo, com o serviço de streaming de música Apple Music ou o Apple Books”, disse Vestager. “Decidi, portanto, examinar com atenção as regras da App Store da Apple e seu cumprimento conforme as regras de concorrência da União Europeia.”

Vale ressaltar que, enquanto a Apple cobra uma taxa de assinatura para acessar seus jogos no Apple Arcade, o Facebook não tem um plano pago. Se você realmente quiser, ainda poderá jogar no Facebook por meio do app principal do Facebook, que está na App Store já há um tempão.

Também é importante notar que o app Stadia, do Google, está disponível na App Store e você pode fazer compras dentro do app. Outra plataforma semelhante, chamada Shadow, chegou a ser banida da App Store, mas foi reintegrada recentemente em maio de 2020. A Apple também confirmou recentemente que permite que alguns serviços de streaming de vídeo, como o Amazon Prime Video, ignorem sua taxa de 30%.