Fotógrafo inglês capta a estação ISS passando na frente do Sol

Um telescópio tunado, uma câmera de alta velocidade e um pouco de sorte. Essa foi a receita que permitiu o registro raro. Veja mais

Fotógrafo inglês capta a estação ISS passando na frente do Sol

Imagem: Jamie Cooper/Reprodução

Um fotógrafo e astrônomo amador da Inglaterra conseguiu captar o momento exato em que a Estação Espacial Internacional (ISS) passou na frente do Sol.

A imagem foi feita por Jamie Cooper, no último dia 17 de junho, a partir da casa dele, localizada em Whilton, em Northamptonshire – distante cerca de 120 km de Londres.

A passagem em si demorou menos de um segundo. Mas, usando um telescópio e uma câmera de alta velocidade, ele conseguiu fotografar o raro fenômeno em que a ISS e o Sol se alinham no céu.

Em entrevista à BBC, ele explicou que o alinhamento era visível a partir da Terra em uma faixa muito estreita — de cerca de 5 km de largura. Cooper chamou de “sorte” o fato da casa dele estar dentro dessa faixa.

Como a estação espacial está a 400 km de altitude, viajando a mais de 27.300 km/hora, ele precisou gravar o vídeo a uma velocidade de 80 quadros por segundo. Além da ISS, o inglês conseguiu fotografar a granulação na superfície do Sol, assim como um grupo de manchas solares.

ISS é fotografada próxima a um grupo de manchas solares. Imagem: Jamie Cooper

Atualmente, existem softwares e aplicativos que calculam a visibilidade desses tipos de fenômenos a partir da localização do astrônomo amador. Cooper afirma que ficou sabendo do alinhamento um dia antes dele acontecer.

“É importante dizer que eu uso um telescópio especializado com filtro porque você nunca deve olhar para o Sol sem filtro – isso pode levar à cegueira permanente”, alertou Cooper.

Inglês não fotografa apenas a ISS

Com 52 anos de idade, Jamie Cooper mantém um perfil no Instagram onde posta as suas fotos de vários fenômenos astronômicos, como chuvas de meteoros, eclipses do Sol e da Lua, além da passagem de cometas e asteroides.

Na foto abaixo, é possível ver, por exemplo, uma dessas astrofotografias, em que é possível ver detalhes da cratera Clavius (um pouco abaixo do centro da foto), uma das formações mais antigas e a segunda maior cratera de impacto do lado visível da Lua.

 

Sair da versão mobile