A resolução 8K é o futuro do futuro para a televisão: com dezesseis vezes a quantidade de pixels presente no Full-HD, ela é o passo seguinte ao 4K – que só agora começa a chegar ao país. Mas a Rede Globo está usando essas duas tecnologias agora mesmo.

Você certamente não recebeu nenhuma imagem 8K no seu televisor: é que a emissora usa a tecnologia para gravar seus programas.

Já existem várias câmeras 4K, que gravam em resolução 3840 × 2160 pixels, e a Globo usa algumas para filmar novelas. Raymundo Barros, diretor de engenharia de entretenimento na emissora, diz ao jornal O Globo:

Na realidade, muito material em vídeo já é captado em 4K. Hoje aqui na TV Globo, por exemplo, temos as novelas “Tapas e beijos”, “A grande família” e “Joia rara” (a próxima novela das seis) que são filmadas com câmeras 4K. Mas estamos masterizando e pós-produzindo em HD.

Ou seja, parece que quando o 4K se popularizar, a emissora já estará pronta. E quando isso acontecer, talvez você possa ver novelas antigas em altíssima resolução. Oba!

E onde fica o 8K? Na novela das nove. Barros explica à Folha: as cenas externas de “Amor à Vida” em São Paulo na verdade são filmadas dentro do Projac, em um fundo “chroma key” gigante. Esse fundo azul é então substituído por imagens 8K da capital paulista. O hospital da novela na verdade está em Curicica (RJ), em uma cidade cenográfica.

Barros diz ao Globo que essas imagens de fundo ocupam 30 TB de espaço, e a emissora usa cabos coaxiais de cobre para transferir tudo de um lugar para outro – no futuro, terá que usar fibra óptica. O sinal 8K sem compressão pode exigir até 200Gb/s de velocidade.

Qual a graça do 8K, também conhecido como Super Hi-Vision? Dado que ele exibe imagens de 7680 x 4320 pixels (33,2 megapixels), é possível aumentar a imersão da experiência de ver TV. Tudo é exibido com o máximo de detalhe, e você pode se sentar mais perto da tela sem notar pixels – e, espero, sem prejudicar a visão.

E não é só a qualidade de imagem: o Super Hi-Vision traz 22.2 canais de áudio! Em parceria com a japonesa NHK, a Globo gravou o Carnaval deste ano em 8K. E em uma demonstração, “nas filmagens da Sapucaí é possível ouvir com perfeição a variação do som conforme os carros alegóricos se aproximam e se afastam”, segundo a Folha. Mas Barros explica que você não precisará colocar 22.2 caixas de som na sala: a NHK testa um protótipo que coloca 116 pequenos alto-falantes ao longo da moldura da TV.

Quando o 8K chegará ao Brasil? Não se sabe. Barros diz ao Globo: “Ainda não temos um prazo para implantar aqui no país. Na melhor das hipóteses seria algo no mesmo tempo da implantação no Japão, ou então, logo depois.” O Japão deve transmitir TV nessa resolução a partir de 2016.

Barros, no entanto, parece bastante otimista: “eu sei que em pouco tempo todos teremos 8K”, diz ele. Ora, ainda estamos levando a resolução HD para cidades do interior, então ela deve demorar. Talvez menos que nossa desajeitada transição para a TV digital, mas não espere pelo 8K tão cedo. [Folha e O Globo]