Depois de inúmeros golpes e o surgimento insano de criptomoedas esquisitas, o Google decidiu que não permitirá mais a promoção de novas empreitadas e ICOs em sua plataforma de anúncios a partir de junho. A iniciativa segue uma medida tomada pelo Facebook em janeiro – enquanto isso, a gente pode continuar vendo publicidade relacionada ao bitcoin no Twitter e no Paulistão 2018.

• Ladrões roubaram 600 computadores dedicados a minerar bitcoin
• BitConnect, plataforma de criptomoeda acusada de pirâmide, é alvo de mais ação judicial

A nova diretriz inclui também outros produtos de alto risco financeiro e diz que “agregadores e afiliados não poderão mais exibir publicidade de criptomoedas e conteúdos relacionado”. Isso quer dizer que você não verá esses produtos em sites que utilizam o sistema de anúncios do Google, nem verá resultados patrocinados no topo de resultados de buscas.

A Bloomberg lembra que quem quer dá um jeito: os anúncios sobre criptomoedas no Facebook, apesar de proibidos, ainda aparecem por lá. Às vezes com um zero substituindo a letra “o” (bitc0in), por exemplo. Um porta-voz do Google disse ao site que tentarão antecipar brechas como essa. Segundo a companhia, em 2017 foram retirados 3.2 bilhões de anúncios que violavam as diretrizes de comunidade.

Quem sabe a medida ajude a diminuir as mortes causadas “diretamente” pelas criptomoedas e evite o surgimento de novos raps sobre bitcoin.

Imagem do topo: AP