A versão Desktop Plus do OnLive para iPad é impressionante: por US$5 ao mês, ele basicamente permite que você rode Windows 7 no seu iPad, e ele roda bem rápido. Esta é a nuvem feita do jeito certo. Na maior parte.

O OnLive é uma empresa de jogos na nuvem, e eles basicamente pegaram a mesma tecnologia usada para fazer streaming de jogos – inclusive no iPad – e a aplicaram em programas comuns, mas que rodam na nuvem. A empresa tem inúmeros servidores em data centers conectados via Gigabit Ethernet para rodar vários programas para você – incluindo Microsoft Word, PowerPoint, Excel e Internet Explorer – e então enviar tudo para seu iPad. O OnLive transforma seu iPad em uma tela para os servidores da empresa.

O que isso quer dizer na prática? Em primeiro lugar, isso significa você pode ter o Office no seu iPad agora mesmo, sem pagar uma cara licença por isso, o que era a proposta do OnLive Desktop original. Você pode editar documentos, rodar vídeo em apresentações do PowerPoint e basicamente fazer tudo o que você faria se estivesse em um desktop. Você pode usar o teclado virtual do Windows 7 ou ligar um teclado Bluetooth. Ele também reconhece escrita cursiva, um belo truque.

O OnLive Desktop Plus pega essa funcionalidade e adiciona algo que o torna mágico: a internet. Como o OnLive envia a versão desktop do IE ao seu iPad, você pode usá-lo com webapps como Dropbox ou Gmail, ou o que você quiser. Elementos em Flash funcionam sempre porque, de novo, tudo está sendo processado em servidores remotos e enviado para seu tablet. Você nunca para em um site móvel. E você pode ver vídeos que seriam restritos em um dispositivo móvel.

A proposta é que o OnLive não leva todas as informações processadas no servidor, apenas o que você precisa ver na tela. Ele não envia páginas web: ele processa tudo e só exibe – e envia – o resultado final. Ele também não comprime vídeo, então não há buffering. O OnLive é, praticamente, um vídeo na tela do seu iPad, onde o que acontece nos bastidores não é enviado para você. (O áudio, no entanto, é reproduzido mesmo no plano de fundo.)

Eu estava um pouco cético na demonstração que a OnLive fez. Certeza que não funciona tão bem assim, não dá para baixar e exibir vídeo sem artefatos tão rápido assim! Mas em casa, tudo funcionou praticamente tão bem quando no escritório da OnLive.

O Word funcionou de forma ágil, e eu fiquei impressionado em como o reconhecimento de escrita funcionava (apesar de ser bem mais lento que digitar no teclado). Usar o Windows no iPad dá uma sensação quase igual à que tenho no meu laptop, mas a navegação teve seus percalços.

O Hulu deu uns engasgos. O vídeo não ficava sincronizado com o áudio em alguns momentos, e surgiam alguns artefatos perceptíveis. Eu fiquei menos impressionado do que com os programas. Mas na maior parte o Flash, com seus travamentos mesmo no Windows, funcionou sem falhas. E é incrível ver como os vídeos começam a tocar praticamente no segundo que você os abre, graças às máquinas robustas e rede da OnLive no back-end. Mesmo em minha conexão Wi-Fi, que não é lá essas coisas, o OnLive no iPad funcionou rápido. Um arquivo PDF de 35MB, por exemplo foi exibido em 12 segundos no navegador do OnLive Desktop. Quando eu tentei baixar o mesmo arquivo através do app Dropbox para iOS, também via Wi-Fi, ele demorou 24 segundos.

A empresa também deve trazer ao mercado uma versão para empresas no futuro próximo. Eles me mostraram hoje uma versão do Maya, programa de modelagem 3D, rodando no iPad. Poder rodar um programa de US$5.000 num tablet de US$500? Não tem preço. Sério: o plano Desktop Plus (com Office e navegador web) custa US$5/mês, mas o plano Desktop Standard (apenas com Office) é de graça. Conheça mais: [OnLive Desktop]