Após três gerações de smartphones Pixel, o Google quer que o Pixel 4 inicie uma nova era.

Você pode ver isso em todo o telefone, graças a um design que descartou o esquema de cores em dois tonos dos Pixels anteriores para algo que condiz com as tendências atuais de metal e vidro. Em vez de combinar a moldura de metal do Pixel 4 com o vidro traseiro do telefone (nos modelos branco e laranja), o Google manteve a mesma faixa preta fosca nas três opções de cores.

Em seguida, o Google colocou um grande módulo de câmera quadrado no canto superior esquerdo para destacar as características mais importantes e definidoras da linha Pixel, mantendo o botão liga/desliga colorido. Quando combinado, quase faz o Pixel 4 parecer ter pulado de uma história em quadrinhos, com um contorno em negrito que separa o telefone dos outros aparelhos.

Traseira do Google Pixel 4 de cor laranja

E, no entanto, por dentro, parece que o Google está evitando a definição tradicional de smartphone, criando algo que seja inteligente e ponderado.

O maior exemplo disso é o funcionamento do reconhecimento de gestos Motion Sense, do Google, que usa pequenos chips de radar (chamados Soli) que ficam no topo do telefone para rastrear objetos próximos do aparelho, como suas mãos ou detectar se tem alguém por perto.

Com um simples deslize de mão sobre a tela, você pode pedir para o smartphone passar para a próxima música em sua playlist. Mas impressiona mesmo como o aparelho usa este reconhecimento de objetos em situações que exigem maior nuance. Se você deixar o Pixel 4 em uma mesa e se distanciar 60 cm (que é o alcance máximo dos sensores Soli), o aparelho irá desabilitar a tela sempre ligada para economizar bateria. No fim das contas, se não estiver ninguém por perto, por que gastar energia com uma tela que ninguém está vendo, né?

Google Pixel 4 de frente

É uma situação parecida quando falamos de usar gestos para silenciar o alarme ou uma chamada telefônica. Você pode fazer um movimento com a mão para dispensar, mas mesmo se você alcançar o aparelho com as mãos, o Pixel 4 a detectará e diminuirá o volume do telefone. O objetivo do alarme é chamar sua atenção, não incomodar todo mundo ao seu redor, então uma vez que a tarefa é “completada”, os ruídos serão diminuídos.

O Google também usa o Soli para tornar o reconhecimento facial do Pixel 4 mais rápido, usando movimento para ativar o projetor de pontos 3D do telefone, para que, mesmo antes de você levantar completamente o braço, o telefone provavelmente já está desbloqueado.

Recurso de gestos permite dar tchau para o Pikachu no Pixel 4

Esse uso de reconhecimento de gestos é totalmente diferente do recurso Air Motion do LG G8, a ponto de convencer pessoas a tentarem a funcionalidade novamente no smartphone do Google.

Sobre a câmera do Pixel, houve adição do suporte à astrofotografia no modo noturno, gravação de vídeo em Live HDR+ e melhores detalhes para o modo retrato, mas estes recursos exigem uma avaliação mais aprofundada para um veredicto. Isso significa que, por ora, a coisa mais legal da câmera do Google é o controle de exposição. Isso possibilita fazer ajustes na foto sem precisar abrir um aplicativo separado.

Fotografia em modo com pouca luz do Pixel 4

O interessante dos controles de exposição do Pixel 4 é que em vez de fornecer um histograma complicado, você tem acesso a dois controles deslizantes que são surpreendentemente poderosos. Mesmo sem saber o que eles fazem, você pode evitar estourar o segundo plano de uma foto ou reduzir a exposição de um objeto com alguns toques. Não é necessário treinamento em fotografia (embora um pouco de conhecimento sempre ajude).

Apesar de não ter tido muito tempo com o aparelho, ainda achei o modo de astrofotografia do Pixel 4 muito fácil de se usar. Enquanto estiver escuro o suficiente e a câmera parada, o modo noturno ativará o modo astrofotografia. Uma vez que o disparado é acionado, você observa um contador (de até 4 minutos e 30 segundos), enquanto pequenas notificações pop-up fornecem informações sobre o que o smartphone está fazendo. Você pode parar de capturar a foto a qualquer momento — caso precise ajustar sua composição ou achar que a imagem já é boa o suficiente. Você saberá, pois o telefone gera a imagem em tempo real.

Modo escuro do Pixel 4 em uma sala totalmente escuraInfelizmente, não havia muito o que capturar em um local totalmente escuro usando o modo astrofotografia do Pixel 4. Crédito: Sam Rutherford/Gizmodo

O modo de astrofotografia que fica dentro do modo noturno não é o único recurso do Pixel 4 que processa número em tempo real. Graças ao novo recurso Live Transcribe embutido no Gravador do Pixel 4, analisar conversas transcritas pode ter ficado muito fácil. Mesmo quando experimentei esse recurso na barulhenta sala de demonstração do Google, o Pixel 4 acertou praticamente tudo, inclusive escrevendo “Gizmodo” corretamente. O único erro foi escrever “transcribed” em vez de “transcribe”, o que é totalmente perdoável.

Dito isso, tenho duas dúvidas sobre o Pixel 4. Neste ano, tanto a Samsung como a Apple adicionaram câmeras triplas no Galaxy S10/Note 10 e iPhone 11. Enquanto isso, o Pixel tem que se contentar com um sensor primário e uma lente telefoto 2x e nenhum sensor de grande angular. Na verdade, é ainda pior do que isso, porque em 2019, quase todos os principais fabricantes de celulares, incluindo LG, Huawei e Motorola, já colocaram o sensor em seus aparelhos. E com o ouso de uma câmera selfie grande angular no Pixel 3 do ano passado, o Google sabe claramente como usá-las e quais seriam os benefícios.

Isso faz com que a inclusão de uma lente ultra-grande angular no Pixel 4 pareça uma péssima decisão, porque, apesar da incrível qualidade de imagem do Pixel 4, ainda há uma câmera que realmente não combina com as capacidades dos seus principais concorrentes. (Devo acrescentar que, considerando o meu curto período de uso do telefone até agora, as fotos tiradas com a nova câmera telefoto 2x combinada com o Super Res Zoom são incríveis.)

Modo transcrição do app Gravador do Pixel 4

A outra preocupação é que o Pixel 4 tem uma bateria de 2.800 mAh. É menor que os 2.915 mAh do Pixel 3 do ano passado, que em nosso teste durou 10 horas e 40 minutos. Quando perguntei para Brian Rakowski, vice-presidente de produto do Google, sobre a bateria menor do Pixel deste ano, ele me assegurou que o Google está confiante de que o telefone consegue aguentar um dia todo de uso, embora também recomende que usuários avançados devem optar pelo Pixel 4 XL.

Isso faz sentido, pois quem usa muito o telefone tende a escolher dispositivos maiores, mas para pessoas que desejam um aparelho pequeno, poderoso e duradouro, eu gostaria que você não precisasse ser forçado a escolher o melhor.

Ainda assim, mesmo com essas duas queixas, o Pixel 4 está se preparando para ser não apenas o mais inteligente, mas também o telefone mais esperto do mercado. Mas não sei ao certo disso, pois precisava passar mais tempo com eles. Portanto, fique atento para uma análise completa em breve.