Você se lembra de 2010? O Symbian ainda era a plataforma mais popular do mundo, o iPad era uma novidade, e vazamentos do Wikileaks ocupavam as manchetes pela primeira vez. Faz tempo! Mas, aparentemente, um homem viajou de volta a esse tempo mais simples por causa de um skate elétrico.

Mark Tamlin, um engenheiro civil britânico de 39 anos, comprou um “hoverboard” para o filho através do AliExpress. O dispositivo parecia ter vindo com defeito, e começava a tremer violentamente sempre que o menino de 12 anos colocava os pés nele.



Então Tamlin resolveu testar o produto, e parece que ele viajou seis anos no passado para 2010, após cair de cabeça no chão e sofrer de amnésia temporária.

“Minha memória não está afetada agora, mas eu não lembro nada do dia em que aconteceu, partes do Natal e do dia seguinte não estão claras em minha mente. O médico disse que, quando eu cheguei ao hospital, ele me perguntou em qual ano estávamos, e aparentemente eu disse que era 2010”, disse Tamlin ao SWNS.com.

Segundo o britânico, o hoverboard chegou com algo errado, “e a empresa online na qual eu o comprei só me mandou um tutorial em vídeo ensinando como consertar”. Ele resolveu o problema, mas o defeito voltou a aparecer quando o filho dele abriu o presente. Tamlin testou o produto e nem lembra o que aconteceu.

“Eu não sei o que houve, mas meu filho me disse que o hoverboard começou a vibrar muito rápido, então me jogou no ar e eu bati a parte de trás da minha cabeça no chão”, diz Tamlin.

Esse é um dos riscos em se comprar “hoverboards” baratos da China. Outro risco, claro, é ver seu gadget pegar fogo. Há duas semanas, outro britânico comprou um skate elétrico xing-ling, carregou a bateria durante a noite, e pisou na prancha. Um minuto depois, o dispositivo pegou fogo:

O órgão americano CPSC (Comissão para Segurança de Produtos ao Consumidor) está investigando a segurança dos “hoverboards”, incluindo acidentes que provocam ferimentos e casos em que o dispositivo pega fogo – provavelmente devido a problemas na bateria.

A lista de locais que baniram “hoverboards” não para de crescer. Eles são proibidos em aviões, parques da Disney, universidades nos EUA, espaços públicos em Nova York, Holanda, Dinamarca e Reino Unido, entre outros.

[SWNS.com]