A polícia de Illinois (EUA) efetuou as primeiras prisões em conexão com um surto atual de produtos canabinoides sintéticos responsáveis por centenas de casos de hemorragia severa e pelo menos três mortes. Uma pessoa, que supostamente distribuía as drogas, foi acusada de homicídio.

• Pelo menos duas pessoas em Illinois morreram depois de fumar maconha sintética que causa hemorragia
• Ficar acordado até tarde da noite faz aumentar suas chances de morrer mais cedo, diz estudo

No fim da semana passada, funcionários do Departamento de Polícia de Pekin, no Condado de Tazewell, em Illinois, anunciaram que haviam prendido e acusado Lonnie K. Smith, de 46 anos, pelo homicídio de Anthony Phillips, de 47 anos, assim como pela posse ilegal de uma substância controlada com o intuito de distribuição. Duas outras pessoas — Rachel Spires, de 30 anos, e Richard Booth, 26 — também foram presas e acusadas de lesão corporal grave e fornecimento ou posse com intenção de fornecimento.

Todos os três compareceram ao Tribunal do Condado de Tazewell e tiveram suas fianças definidas.

“A distribuição dessas drogas ilegais representa um risco inaceitável para a segurança pública, e os traficantes devem ser responsabilizados criminalmente por sua conduta. Gostaria de reconhecer a investigação rápida e eficaz realizada pelo Departamento de Polícia de Pekin”, disse Stu Umholtz, procurador do estado de Tazewell County, em entrevista à afiliada da NBC 25 News.

Os promotores alegam que Smith vendeu canabinoides sintéticos para Anthony Phillips e sua namorada em 7 de abril. No meio da manhã do dia seguinte, Phillips acordou vomitando sangue e sentiu uma forte dor de estômago, enquanto sua namorada também estava com os mesmos sintomas. Ambos foram hospitalizados, e Phillips morreu em 9 de abril. Os promotores disseram que a mulher afirmou à polícia de Pekin que Phillips sempre comprava drogas de Smith.

Quando a polícia visitou Smith, ele confessou ter vendido K2 — um dos muitos nomes de produtos sob os quais os canabinoides sintéticos são vendidos — e reconheceu ter descarregado o resto de seu suprimento em uma lixeira próxima. De acordo com uma declaração do Departamento de Polícia de Pekin, os oficiais encontraram 3.500 pacotes de K2 no lixo, ou mais de sete mil gramas da droga.

Testes laboratoriais revelaram que o K2 encontrado continha FUB-AMB, um canabinoide sintético que a DEA (órgão encarregado pela repressão e controle de narcóticos) classificou recentemente e temporariamente como uma substância ilegal controlada pela Lista I (a mesma categoria que cobre drogas como a heroína). Spires e Booth também supostamente venderam produtos contendo FUB-AMB que resultaram em hemorragia severa em várias pessoas.

Mesmo antes desse surto, o FUB-AMB já havia causado complicações perigosas. Com o objetivo de imitar o efeito da cannabis tradicional, ele é muitas vezes mais potente. A substância esteve por trás de um surto de comportamento “zumbi” que atingiu 33 pessoas em um bairro do Brooklyn em 2016, 18 das quais foram hospitalizadas. Acredita-se também que o FUB-AMB tenha contribuído diretamente para pelo menos uma morte anteriormente. Os canabinoides sintéticos, em geral, têm sido associados a psicose temporária, alucinações e problemas cardiovasculares.

O surto atual de casos de “coagulopatia associada a canabinoides sintéticos”, nos quais as pessoas sangraram a partir de seus ouvidos e olhos depois de injetar as drogas, seria causado por produtos misturados com veneno para rato. Mas não se sabe ainda como a contaminação ocorreu em primeiro lugar ou se ela foi intencional.

A polícia de Pekin afirmou que nenhuma outra informação seria revelada desta vez, citando uma investigação em curso. E o escritório do procurador do estado de Tazewell County não respondeu a um pedido do Gizmodo por comentários.

De acordo com o Departamento de Saúde Pública de Illinois, até a segunda-feira (16), houve 131 casos no estado, que, imagina-se, é o epicentro do surto. No entanto, casos isolados foram vistos em quatro outros estados, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA: Indiana, Maryand, Missouri e Wisconsin.

A recomendação local é de que qualquer um que apresente sintomas como hematomas inexplicados ou sangramento a partir do ouvido, nariz, gengiva ou até mesmo sangramento excessivo durante a menstruação seja levado por outra pessoa a um hospital.

Imagem do topo: Departamento de Polícia de Pekin