O Instagram iniciou nesta quarta-feira (19) os testes oficiais de sua nova ferramenta de assinaturas pagas de conteúdo. O recurso vai ser colocado à prova com um pequeno grupo de criadores de conteúdo dos Estados Unidos.

Os rumores de que o Instagram estava planejando lançar algum tipo de programa de assinaturas existem desde novembro de 2021. À época, uma tabela de preços de comprade conteúdo foram descobertos nas linhas de código do app do Instagram iOS nos Estados Unidos. Agora, a rede social anunciou o recurso oficialmente.

Apenas 10 criadores terão acesso à ferramenta nessa fase inicial. Eles próprios poderão escolher qual valor um fã precisará desembolsar para acessar seus vídeos e conteúdos exclusivos do Instagram Live.

Existem oito preços diferentes para escolher, a partir de US$ 0,99 por mês até US$ 99,99 mensais — dependendo de quanto um criador acredita que seu conteúdo vale.

Adam Mosseri, chefe do Instagram, disse que a empresa vai se concentrar em tornar seu aplicativo melhor para adolescentes e criadores em 2022. Ele ressaltou também que o objetivo do recurso de assinaturas, além de monetizar os conteúdos e deixar o trabalho de influenciador mais “formal”, é aproximar os criadores de seus seguidores por meio de experiências exclusivas.

Como vai funcionar o recurso?

Uma vez inscritos, os usuários poderão acessar conteúdos anteriores apenas para assinantes, como histórias salvas nos destaques, por exemplo. Os usuários serão alertados para transmissões exclusivas, onde poderão ter um contato maior com os criadores — já que a audiência será, naturalmente, menor.

Nos stories apenas para assinantes, indicados com um anel roxo, os criadores podem compartilhar conteúdos como bastidores e enquetes especiais. Os selos de assinante (que serão roxos), ajudarão os fãs a se destacarem nos comentários de conteúdo público, e os ajudarão a ser identificados entre as mensagens diretas (DMs) dos criadores na caixa de entrada.

instagram

Mark Zuckerberg, CEO da Meta, que controla o Instagram, elogiou o lançamento em seu perfil do Facebook nesta quarta-feira (19). Zuck observou que as assinaturas “ajudariam os criadores a ganhar mais, oferecendo benefícios aos seus seguidores mais engajados, como acesso a lives e stories exclusivos.

“Estou animado para continuar criando ferramentas para os criadores ganharem a vida fazendo trabalhos criativos e colocar essas ferramentas nas mãos de mais criadores em breve”, escreveu.

Mosseri disse que com o tempo, espera expandir o recurso para o mundo todo. Mas ainda não há previsão de quando isso possa acontecer.

A nova função no app vai formalizar um movimento que influenciadores tentaram antecipar após o lançamento da função “Melhores Amigos”, em 2018. À época, diversos criadores — brasileiros e gringos — chegaram a anunciar planos de assinatura para que fãs entrassem na seleta lista de contatos aptos a receber conteúdos exclusivos.