Hoje foi a vez de Intel, MediaTek e Vivo (fabricante chinesa de smartphones) a anunciarem que não participarão do Mobile World Congress 2020 devido a preocupações com o surto de coronavírus. Ontem, Amazon e Sony já haviam cancelado sua presença pelo mesmo motivo, seguindo a decisão de uma série de outras empresas. Com isso, a organizadora do evento, GSMA, parece ter decidido que está na hora de considerar um possível cancelamento.

Segundo a GSMA, mais de 2.400 empresas vão participar do MWC este ano, incluindo a Xiaomi, que informou em um tuíte todas as precauções que serão tomadas durante o evento. A própria GSMA divulgou uma série de medidas restritivas para o evento a fim de evitar qualquer chance de contaminação por coronavírus. No entanto, com o número de mortes e casos suspeitos aumentando a cada dia, as empresas não parecem dispostas a arriscar.

Diante de tantas desistências – e de empresas grandes – o conselho da GSMA vai se reunir na sexta-feira (14) para decidir quais medidas serão tomadas e, se for o caso, se o evento será cancelado ou adiado devido ao surto do coronavírus.

Segundo o El País, caso novas empresas de peso anunciem a retirada de sua participação, uma decisão pode ser tomada ainda antes de sexta-feira. Mas, por enquanto, a montagem de estandes e os preparativos para o evento continuam.

Um possível cancelamento representaria um alto custo e, por isso, um adiamento talvez fosse a melhor opção. Ainda segundo o jornal, o Mobile World Congress tem um impacto econômico de 492 milhões de euros em Barcelona, cidade espanhola que sedia o evento, gerando cerca de 14 mil empregos de meio período.

O conselho da GSMA é composto por 25 representantes das principais operadoras de telecomunicações, como Telefónica, Deutsche Telekom, Vodafone, Orange, AT&T, Verizon, América Móvil, China Mobile, China Telecom e China Unicom. A japonesa NTT Docomo já havia cancelado sua participação no evento, sendo que Vodafone e Deutsche Telekom estão considerando o mesmo. Resta esperar até sexta-feira para saber a decisão final do conselho.

[TechCrunch, El País]