E a iTunes Store brasileira finalmente está virando realidade. Quem abrir o iTunes no computador ou iPhone/iPad e entrar na lojinha agora verá discos do Roberto Carlos em destaque, filmes legendados e dublados e jogos na App Store. Algumas pessoas já conseguem comprar, outras vêem mensagem de erro, mas está claro que a loja de conteúdo mais completa dos EUA chegou, e aparentemente veio recheada.

Temos ouvido falar de conversas da Apple com gravadoras e estúdios brasileiros há mais de um ano. Pelo perfil da Apple, dificilmente ela desembarcaria aqui se não conseguisse acordo com todos os players importantes — era preciso entregar um produto razoavelmente completo para agradar os parceiros de conteúdo e os consumidores. E o que vemos agora é o mesmo cuidado de apresentação da loja gringa, com aquela página de destaque customizada para cá e imagens especiais, por exemplo, para os discos do Roberto Carlos (previamente indisponíveis em formato digital no Brasil, sabe-se lá por quê). Há alguns “LPs” nacionais, que são os arquivos com uma imagem do encarte acompanhando em .pdf.

Os filmes parecem versões dubladas e legendadas e, como as músicas, têm o mesmo preço dos EUA, em dólares (o preço da App Store nunca foi “traduzido”). Até o iTunes Match, que permite colocar a sua coleção na nuvem, apareceu como opção, aos mesmos US$ 25. Não sabemos se esses serão preços finais. Notei até alguns artistas menos conhecidos no meio, e pelas informações que temos, a Apple assegurou contrato com diversas gravadoras independentes. A outra novidade que algumas pessoas estão reportando (e ainda não apareceu pra mim) é a categoria de games na App Store, previamente indisponível. Ainda estamos descobrindo o que aparentemente escapou antes da hora, mas à primeira vista, tudo parece estar completo e caprichado.

Com Netflix, Sonora, rdio, Netmovies, NOW e outras iniciativas, 2011 tem sido um ano histórico para o Brasil em termos de oferta de conteúdo digital. E no apagar das luzes ainda temos essa ótima surpresa, com a maior loja virtual do mundo finalmente aportando aqui. Aos poucos a desculpa da “pirataria por falta de opção mais cômoda” vai sumindo — dentro de algumas horas, será mais fácil comprar no iTunes ou ver um filme ali ou no Netflix do que caçar o torrent e as legendas. Resta saber se o público brasileiro vai se acostumar a pagar por coisas que há anos consome sem dar um tostão aos artistas e gravadoras/estúdios.

Acompanharemos. E vamos analisar de perto se a iTunes veio tão caprichada como aparenta. Nos próximos dias, compararemos as ofertas, preços e tudo para você gastar bem o seu dinheiro com bits de diversão. Fiquem ligados. E mandem dicas de coisas que vocês viram e nós ainda não. [Obrigado a todos que mandaram a notícia, em especial o link do MacMagazine]