As estações de metrô de São Paulo vão ganhar um espaço de Wi-Fi grátis a partir das próximas semanas. A iniciativa vinha sendo testada desde 2014 em algumas estações e agora será expandida para cobrir 40 pontos nas linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha.

• Metrô de Nova York vai ganhar Wi-Fi, carregadores USB e tíquetes móveis até o fim do ano
• Tecnologia do MIT promete resolver o problema das redes Wi-Fi congestionadas

Segundo o Meio & Mensagem, o serviço será implementado a partir de uma parceria do governo do Estado com a iniciativa privada. Algumas das estações terão um espaço de lazer com cadeiras de praia e grama sintética, onde as marcas poderão estampar propagandas. Sé, Brás e Ana Rosa serão as primeiras a oferecer essas áreas.

A conexão é e não é limitada ao mesmo tempo. É preciso fazer um cadastro para utilizar o Wi-Fi, e a sessão dura apenas 15 minutos. Apesar disso, é possível se conectar novamente quantas vezes quiser. Na página de conexão o usuário também poderá ver anúncios. Vale notar que o sinal de internet não funciona nas plataformas, por medida de segurança.

O cronograma de instalação da rede foi dividido em duas fases. A partir de domingo (5), as seguintes estações terão Wi-Fi: Armênia, São Joaquim, Vergueiro, Paraíso, Ana Rosa, Santa Cruz, Santana e Jabaquara (linha Azul); Brigadeiro, Trianon-Masp, Tamanduateí e Vila Prudente (linha Verde) e Marechal Deodoro, Santa Cecília, Brás, Patriarca, Carrão, Vila Matilde, Guilhermina Esperança e Sé (linha Vermelha).

A partir do dia 19, o serviço será estendido para as estações São Bento, Luz, Portuguesa-Tietê, Vila Mariana e Tucuruvi (linha Azul); Consolação, Clínicas, Vila Madalena e Sacomã (linha Verde), Tatuapé, Corinthians-Itaquera, Artur Alvim, Penha, República, Anhangabaú, Bresser, Belém e Palmeiras-Barra Funda (linha Vermelha).

O metrô espera arrecadar R$ 5 milhões por ano com a venda do espaço publicitário das estações com Wi-Fi.

[Meio & Mensagem]

Imagem do topo: Diego Torres Silvestre/Flickr.