Em tempos em que cada metro quadrado da superfície do nosso planeta é facilmente fotografado e vigiado, ser um verdadeiro explorador – aquele que vê o que nenhum outro ser humano viu antes – exige descer para as profundezas da Terra. Armados com scanners a laser de alta tecnologia, espeleólogos estão lentamente mapeando o mundo subterrâneo. E agora eles encontraram a maior câmara oculta do mundo, com tamanho equivalente a quatro Grandes Pirâmides.

A Miao Room está localizada abaixo das montanhas do sudeste da China, uma região onde a paisagem é dominada por rochas que erodem facilmente com a água – uma área cheia de cavernas, em outras palavras. Em 2013, uma expedição financiada pela National Geographic Society levou exploradores e scanners a laser para as cavernas que contém a Miao Room (ela só foi encontrada por humanos em 2001). Nesta semana, os exploradores apresentaram evidências em uma conferência no Reino Unido de que a Miao Room tem 10,78 milhões de metros cúbicos, o que faz dela a maior caverna já encontrada em volume.



Mas como foi feita a medição de uma caverna tão grande e com formato irregular? Na edição de julho da National Geographic, McKenzie detalha como a equipe usou scanner 3D a laser para mapear cavernas. O scanner analisa a quantidade de tempo que leva para um pulso laser refletir de volta. McKenzie explicou como isso funciona:

Nosso modelo é um Riegl VZ-400, usado em arquitetura, engenharia e mineração e agora, pela primeira vez, em espeleologia. É um cilindro metálico com mais ou menos o tamanho de uma cabeça humana e que pesa cerca de 9kg, sem incluir suas duas baterias e o tripé, laptop e cabos. Quando está em ação, ela fica mais ou menos no nível do olho humano, girando em 360 graus e realizando até 122.000 medições por segundo.

Alguns minutos depois, uma renderização inicial 3D da caverna aparece na tela do laptop. Essa é a única forma de “ver” toda a caverna. Em cavernas imensas como essa, a luz da maioria das lanternas desaparece antes de chegar a uma parede ou ao teto. Nossos olhos humanos só podem ver a caverna dessa forma; nossos lasers, por outro lado, conseguem ver tudo. [National Geographic]

As imagens deste post apareceram originalmente na edição de julho da National Geographic News e foram reproduzidas com autorização – clique aqui para conferir mais fotos das cavernas.

Imagem de topo: luzes de fotógrafos iluminando a Miao Room © Carsten Peter/National Geographic

ve7byquayvrj9dfb82an