Tudo indica que a briga bilionária envolvendo Apple e Epic Games ainda terá longos capítulos pela frente. E mais uma empresa teve seu nome inserido nessa novela: a Microsoft, que manifestou apoio à companhia dona do jogo Fortnite, removido da App Store no último dia 13 de agosto.

Vamos recapitular. Há alguns dias, a Epic Games introduziu no game de battle royale uma opção própria de pagamentos para os jogadores comprarem V Bucks, a moeda in-game usada em Fortnite. A questão é que isso viola as políticas da Apple para esse tipo de transação, uma vez que, para cada compra feita dentro da App Store, a companhia ganha uma porcentagem. Essa mesma política também é adotada pelo Google na Play Store, e tanto a Apple quanto o Google abocanham 30% da receita em cima dessas compras – uma espécie de taxa para que os aplicativos sejam publicados e fiquem disponíveis nas lojas de cada empresa.

O “jeitinho” que a Epic Games encontrou de burlar as regras da App Store teve impacto quase que imediato, quando Fortnite foi removido da loja. Para piorar, a Epic foi informada que seria excluída do Programa de Desenvolvedores da Apple em até duas semanas se não revertesse o jogo para o modelo antigo, ou seja, se não voltasse a usar a App Store como único meio de pagamento para transações dentro do título. Se não acatar a decisão, que tecnicamente completa 14 dias nesta quinta-feira (27), a Epic não só perderia autorização para disponibilizar Fortnite no iOS, como também estaria impossibilitada de usar a Unreal Engine – e aqui vale citar que milhares de desenvolvedores que utilizam a tecnologia – em qualquer aplicação para os sistemas operacionais da Apple.

Pois bem. Eis que no último domingo (23), em uma nova etapa do processo, a Epic afirmou que inúmeras empresas que fazem uso da Unreal Engine entraram em contato com a desenvolvedora e “expressaram grande preocupação com as ações da Apple e seu impacto em projetos para iOS e macOS” baseados no motor de jogo. Entre essas companhias está a Microsoft, que no processo judicial declarou apoiar a Epic Games.

“A descontinuação da capacidade da Epic em desenvolver e oferecer suporte à Unreal Engine para iOS ou macOS prejudicará os criadores de games e também os jogadores”, destacou Kevin Gammill, gerente geral da Microsoft para desenvolvedores terceirizados do Xbox. Para o executivo, todos os títulos que utilizam a tecnologia da Epic serão colocados em uma “desvantagem substancial”. Ele até cita como exemplo Forza Street, jogo de corrida da Microsoft disponível para iPhone e iPad.

Em seu perfil pessoal no Twitter, Phil Spencer, chefe da divisão Xbox, se manifestou sobre o caso, dizendo que “garantir que a Epic tenha acesso à tecnologia mais recente da Apple é a coisa certa para desenvolvedores e jogadores”. Vale lembrar que a Microsoft também fica com uma porcentagem de todas as vendas em aplicativos hospedados em sua loja, então não seria nada surpreendente se a Epic resolvesse processá-la no futuro.

Uma nova audiência está marcada para esta terça-feira (25) em um tribunal da Califórnia, nos Estados Unidos. Vamos acompanhar como se dará o desfecho do caso, já que nem a Apple, nem a Epic parecem querer voltar atrás em suas respectivas decisões.

[MacRumorsThe Verge]