No que poderia ser descrito como uma brilhante configuração antitruste, a Epic Games está processando a Apple e o Google por remover seu jogo Fortnite da App Store e Google Play Store, respectivamente.

Embora os processos da Epic não sejam nada mais do que reclamações até que o assunto realmente vá ao tribunal e uma decisão seja proferida, está claro que este foi um movimento orquestrado contra a Apple, especificamente — desde o anúncio público de que a Epic Games estava adicionando um pagamento direto ao seu aplicativo iOS e Android para a reclamação legal que rapidamente lançou depois que a Apple e o Google removeram os aplicativos de suas lojas, sem mencionar o vídeo da Epic preparado para arrasar com a Apple por suas práticas na App Store. (A Epic não criou um vídeo semelhante para atingir o Google, o que indica que essa estratégia foi direcionada principalmente à Apple).

Documentos jurídicos e vídeos meticulosamente animados não são coisas que podem ser criados rapidamente. Epic sabia que isso estava por vir. Mas agora que a Apple e o Google caíram na armadilha da Epic, o que acontece a seguir?

Aqui o que está em jogo atualmente para as duas empresas: de acordo com as estatísticas fornecidas ao Gizmodo pela Sensor Tower, o Fortnite teve aproximadamente 2,4 milhões de downloads nos últimos 30 dias no iOS e gerou US$ 43,4 milhões em gastos do consumidor na App Store globalmente. Em constraste, houve 2,1 milhões de instalações no Google play, mas o jogo gerou US$ 3,4 milhões.

Até a Apple e o Google removerem o Fortnite de suas lojas, as companhias receberam uma comissão de 30% da receita do jogo, que totalizou um pouco mais de US$ 13 milhões para a Apple e US$ 1 milhão para o Google em um período de 30 dias de apenas um aplicativo. O resto foi para a Epic Games. Alguma empresa realmente se preocupa com dinheiro aqui? Tenho certeza que sim, mas esse não parece ser o principal problema no momento.

Um porta-voz da Apple fornece ao Gizmodo a seguinte declaração:

“Hoje, a Epic Games de um passo infeliz de violar as diretrizes da App Store que são aplicadas igualmente a todos os desenvolvedores e projetadas para manter a loja segura para nossos usuários. Como resultado, seu aplicativo Fortnite foi removido da loja. A Epic habilitou um recurso em seu aplicativo que não foi revisado ou aprovado pela Apple, e o fez com intenção expressa de violar as diretrizes da App Store em relação aos pagamentos no aplicativo que se aplicam a todos os desenvolvedores que vendem produtos ou serviços digitais.

A Epic tem aplicativos na App Store há uma década e tem se beneficiado do ecossistema da App Store — incluindo suas ferramentas, testes e distribuição que a Apple fornece a todos os desenvolvedores. A Epic concordou com os termos e diretrizes da App Store livremente e estamos felizes por eles terem construído um negócio bem-sucedido na App Store. O fato de seus interesses comerciais agora os levarem a pressionar por um acordo especial não muda o fato de que essas diretrizes criam condições equitativas para todos os desenvolvedores e tornam a loja segura para todos os usuários. Faremos todos os esforços para trabalhar com a Epic para resolver essas violações para que eles possam trazer o Fortnite novamente à App Store”

Epic reivindica por tratamento mais justo há um tempo

A Epic Games não está exatamente pressionando por um acordo especial, embora a Apple esteja entendendo desta forma. Embora seja definitivamente do interesse financeiro da Epic não ter que entregar uma comissão de 30% em cada compra no Fortnite, a Epic parece estar pressionando para que a Apple mude as políticas da App Store em geral, o que beneficiaria todos os desenvolvedores, e não apenas a própria Epic.

Personagens do FortnitePersonagens do Fortnite, jogo desenvolvido pela Epic Games

A Epic Games há muito pressiona por um tratamento justo dos desenvolvedores, o que se reflete em suas próprias práticas de negócios. O Unreal Engine, a ferramenta de desenvolvimento de jogos e mídia da Epic, é gratuito para qualquer pessoa usar, e a Epic recebe apenas uma comissão de 5% da receita do jogo ou outro produto interativo criado com o Unreal Engine exceder US$ 1 milhão.

Além disso, a Epic fica com uma comissão de 12% dos jogos publicados em sua loja digital, e se um jogo for construído usando o Unreal Engine, a Epic cobrirá os royalties sobre a receita da loja da Epic Games.

O CEO da Epic, Tim Sweeney, sempre foi um oponente vocal das políticas da App Store da Apple.

Em um FAQ atualizado sobre a decisão da Apple de remover o Fortnite da App Store, a Epic Games diz:

A Apple sabota intencionalmente os consumidores com dispositivo iOS ao prevenir que eles instalem softwares diretamente dos desenvolvedores; este tipo de ação ocorre normalmente em PC e Mac. Sabemos que essa é uma estratégia intencional porque o iOS oferece suporte total à instalação de software via web — mas só permite isso para empresas.

A Apple usa esse bloqueio de instalação direta para forçar os consumidores a usar sua App Store e, em seguida, exige que os desenvolvedores de jogos usem seu serviço de processamento de pagamentos. Ao bloquear a escolha do consumidor na instalação de software, a Apple criou um problema para que eles pudessem lucrar com a solução.

A posição da Epic é que todos os desenvolvedores e consumidores móveis têm o direito de escolher provedores de pagamento alternativos que cobrem menos, como é a norma em todas as outras plataformas de computação de uso geral, incluindo Web, Windows e Mac. Esperamos ver uma mudança geral nas práticas de smartphones em todo o setor para todos os desenvolvedores, que agregue maior valor e liberdade de escolha aos consumidores. Esperamos que a Apple desbloqueie o Fortnite.

Práticas de Apple e Google em suas lojas são justas?

Uma investigação do Congresso pelo subcomitê antitruste (que analisa a competitividade) da Câmara dos Representantes revelou que a Apple fez um acordo especial com a Amazon para receber menos comissão das compras feitas no Prime Video no primeiro ano em que entrou na App Store: foram 15% em vez dos habituais 30%. Isso é prova de que a Apple está disposta a fazer acordos para acalmar as coisas, mas ela escolherá com quais empresas deseja fazer acordos. A façanha da Epic (junto com a ação judicial subsequente) adiciona mais combustível para os investigadores antitruste usarem contra a Apple.

“A Apple lançou um white paper em junho argumentando que ’30% não é tão alto’, mas isso se refere principalmente a vendas de apps pagos em sua loja”, disse John Bergmayer, diretor jurídico do grupo de interesse público sem fins lucrativos Public Knowledge, ao Gizmodo. “O que a Epic está reclamando é 30% das transações feitas dentro do app”.

Vale esclarecer que a Apple fica com 30% de várias compras únicas, em itens como livros ou álbuns.

A maioria das transações que a App Store facilita são para produtos e serviços físicos, que totalizaram cerca de US$ 413 bilhões em 2019. As vendas de produtos e serviços digitais são uma mera fatia disso, apenas US$ 61 bilhões incluem comissões de micro-transações dentro de jogos, como usuários que compra as moedas V-Bucks no Fortnite

Para ser justo, há muita controvérsia em torno das microtransações que se tornaram parte integrante de muitos jogos, incluindo Fortnite. O modelo geral é que o jogo é oferecido gratuitamente, mas os desenvolvedores permitem que usuários comprem moedas dentro do jogo com dinheiro real, de modo que eles podem comprar roupas especiais e armas para customizar seu personagem.

Por um tempo, usuários Android só podiam baixar o Fortnite direto do site da companhiaPor um tempo, usuários Android só podiam baixar o Fortnite direto do site da companhia

O modelo de como os jogos são monetizados mudou drasticamente em um curto período de tempo e hoje em dia é muito mais fácil vender para alguém um jogo que é gratuito e oferecer extras por um custo. Embora ainda existam outros modelos de recita também. O Google foi realmente o primeiro a monetizar a publicidade no app, enquanto a Apple começou ganhando com aplicativos pagos, explica o analista Anshel Sag, da Moor Insights & Strategy.

“A realidade é que as mãos de todos estão sujas, mas agora que a caixa de Pandora foi aberta, há uma expectativa por parte dos consumidores de quanto um jogo vai custar a eles”, disse Sag ao Gizmodo.

As microtransações podem ser consideradas predatórias porque é muito fácil gastar mais dinheiro do que o próprio jogo pode valer. No entanto, como um modelo de negócios, está claro que as microtransações funcionam, especialmente no celular — e a Apple e o Google estão dentro desse modelo de negócio sem terem produzido um jogo.

A Epic também poderia, teoricamente, desativas suas compras no app e ser rapidamente integrada na App Store, mas não se trata de estar na plataforma. É sobre o princípio de contornar os 30% a cada transação no aplicativo.

“A Apple criou este sistema que causa todos os tipos de conflitos com desenvolvedores que realmente tiram o equilíbrio e o incentivo de colocar o cliente e o produto em primeiro lugar; em vez disso se concentra em ganhar dinheiro no curto prazo”, disse Bergmayer. “A Apple tem aplicativos no Android. A Apple tem aplicativos no Windows. Ninguém nunca perguntou a eles diretamente: ‘quanto você paga ao Google pela Apple Music no Android?’. Eles têm o iTunes no Windows desde 2013. Quanto dinheiro a Apple pagou à Microsoft por isso? Nenhum.”

Se observarmos como os downloads funcionam no nível mais básico, não há diferença entre usar o Apple Music em um iPhone ou em um PC com Windows para comprar música. O pagamento vai para o mesmo local, diretamente para a Apple, independente da plataforma que você utiliza. O mesmo vale para jogos. Mas a Apple cobra apps de música como o Spotify por transação no aplicativo. A Netflix apresentou uma solução inteligente para a comissão de 30% no ano passado, redirecionando os usuários do iPhone, o que parece ser contra a política da App Store da Apple. A Netflix também fez o mesmo no Android na Play Store, do Google. Mesmo assim, nem a Apple nem o Google baniram a Netflix de suas lojas.

A Apple proíbe explicitamente esta prática na seção 3.1.3 (b) de suas diretrizes: “Você não pode direcionar direta ou indiretamente os usuários do iOS para usar um método de compra diferente da transação dentro do aplicativo”.

Briga proposital

Esta não é a primeira vez que a Epic Games briga com o Google, como o Bergmayer mencionou anteriormente. Por um tempo, os usuários do Android tiveram que baixar o Fortnite diretamente do site da Epic e, em seguida, instalar os jogos em seus telefones, porque a Epic Games não queria pagar ao Google sua comissão de 30% para cada transação. Mas isso provou ser muito difícil para muitos usuários. A empresa, então, colocou o Fortnite de volta no Google Play. Mas agora que o Fortnite entrou no Google Play, os usuários devem mais uma vez recorrer a esse download direto do site da empresa. A Apple não permite que usuários de iPhone carreguem apps paralelos, o que poderia contribuir para um confronto antitruste.

Na verdade, o Fortnite não é um grande gerador de dinheiro para a Apple ou o Google quando se trata de receita de jogos. O Robox arrecadou US$ 64 bilhões, Candy Crush gerou US$ 98 milhões e Pokémon Go arrecadou US$ 156 milhões nos últimos 30 dias, de acordo com dados combinados da App Store e Google Play para esses três jogos, que foram fornecidos ao Gizmodo pela Sensor Tower. Isso é um total de US$ 318 milhões e, se dividirmos esse número pele metade e der 30% para Apple e Google, cada empresa ganhou US$ 47,7 milhões com esses três jogos em um mês. Então, analisando toda a situação, a Apple não está perdendo muito com a saída do título da Epic Games.

Mas esta é uma luta que a Epic pode estar prestes a vencer, mesmo que não seja uma grande perda financeira para a Apple ou o Google.

Lenha na fogueira

“A Epic não poderia ter cronometrado isso com mais perfeição”, disse Snag. “O Fortnite ainda é o jogo mais popular do mundo e, por causa de sua popularidade, as pessoas vão ficar do seu lado contra a Apple. As pessoas têm uma ligação emocional muito forte com seus jogos”.

Ele não está errado; ainda estou triste com o que aconteceu com o Star Wars Galaxies depois que a atualização NGE (New Game Enhancement) foi lançada, e isso foi há 15 anos, então eu entendo o impacto emocional que jogos podem ter nas pessoas. Porém, mais importante do que isso, Sag acredita que a oportunidade do processo da Epic contra a Apple e o Google potencialmente torna um caso mais forte contras as empresas no processo antitruste do Departamento de Justiça dos EUA contra as gigantes da tecnologia — sem mencionar a investigação antitruste em andamento que a UE está conduzindo sobre as práticas de negócio da Apple.

É improvável que a Apple recue, e improvável que chegue a um acordo com a Epic Games a menos que seja forçada, disse Sag. E a Epic ganha tanto dinheiro com Fortnite que é improvável que a empresa ceda, especialmente se tivesse toda essa estratégia planejada por um tempo (e tudo indica que sim). Parece que é hora de a Apple e o Google mudarem suas políticas, ou os reguladores correm risco de força-los a fazer isso em termos muito menos favoráveis do que eles próprios poderiam projetar.

“O mundo ultra passou a Apple e o Google em termos da visão de ser um ecossistema global”, disse Sag. “Eles são efetivamente os dois guardiões do momento. É um duopólio. Não vejo como pode existir um duopólio sem regulamentação adicional”.

É inteiramente possível que o Facebook, a Microsoft e outras empresas prejudicadas pela regras da lojas da Apple e do Google se juntem à Epic na luta com processos por conta própria agora que alguém se habilitou a levar as coisas a sério. Com uma investigação antitruste em andamento e a Epic mirando diretamente nos dois gigantes da tecnologia, a situação escalou. Vai ser um tiroteio.

O Google ainda não respondeu ao pedido de comentário do Gizmodo.