Satya Nadella, CEO da Microsoft, disse recentemente em um memorando vazado que a empresa teria que “fazer algumas escolhas difíceis em áreas nas quais as coisas não estão funcionando”. Pelo visto, uma dessas áreas é a de smartphones.

A Microsoft anunciou que vai demitir 7.800 funcionários ao redor do mundo, “principalmente em nosso negócio de telefonia”. Além disso, ela fará um ajuste contábil de aproximadamente US$ 7,6 bilhões relacionado à compra da divisão de celulares da Nokia.

>>> Nokia confirma que voltará ao mercado de celulares, mas só em 2016

Este é o fim da linha Lumia? Não, de acordo com Nadella. Ele diz em um e-mail aos funcionários: “estou comprometido com os dispositivos feitos pela Microsoft, incluindo celulares. No entanto, precisamos concentrar os nossos esforços de celular no curto prazo”

Isso significa que a Microsoft terá um portfólio de smartphones mais enxuto, concentrado em três segmentos de clientes: empresas; pessoas que querem gastar pouco; e fãs do Windows que querem aparelhos de ponta.

Os planos para o longo prazo são mais vagos, mas Nadella diz que planeja reinventar o ecossistema do Windows “ao longo de toda a família de dispositivos [da Microsoft], incluindo celulares”.

Nokia Lumia 820

Agora que a Microsoft tem planos mais restritos para a divisão de celulares, as perspectivas de ganhar dinheiro com isso “estão abaixo das expectativas originais” – e por isso ela fará um ajuste contábil de US$ 7,6 bilhões.

Este pode ser o maior ajuste da história da Microsoft. A última vez que vimos algo semelhante foi em 2012, quando ela diminuiu o valor dos seus ativos em US$ 6,2 bilhões para considerar a problemática aquisição da aQuantive, uma empresa de publicidade.

E não é a primeira vez que a Microsoft faz um corte agressivo na força de trabalho. Há um ano, a empresa anunciava a demissão de 18.000 funcionários; 12.500 deles vieram da Nokia. Como nota o The Verge, esses cortes foram concluídos em abril – agora, a empresa está demitindo ainda mais pessoas.

Na verdade, até mesmo altos executivos vindos da Nokia saíram da Microsoft: isso inclui Stephen Elop, que era vice-presidente de Dispositivos e Serviços; e Jo Harlow, ex-chefe de celulares. No total, 25.000 pessoas haviam migrado da Nokia para a Microsoft após a aquisição.

A Microsoft também vai transferir funcionários para o Uber, que comprou sua tecnologia de mapas; e para a AOL, que adquiriu parte de sua área de anúncios online. [Microsoft via The Verge]

Fotos por Maurizio Pesce e John Karakatsanis/Flickr