Moto Razr é um smartphone dobrável (não um tablet) que remete ao saudoso V3

Após uma série de vazamentos, a Motorola em conjunto com a operadora norte-americana Verizon apresentou o smartphone dobrável Moto Razr.

Moto Razr

Fotos por Verizon

Olha só: a Motorola está trazendo de volta o seu telefone flip de maior sucesso. Na noite desta quarta-feira (13), a operadora norte-americana Verizon anunciou a estreia do novo smartphone Razr com uma tela dobrável de 6,2 polegadas que dobra ao meio.

De acordo com o comunicado da operadora Verizon, o novo Motorola Razr custará impressionantes US$ 1.500 (menos que os quase US$ 2.000 do Galaxy Fold). Sua tela é de 6,2 polegadas ultralarga e ele conta com uma câmera principal de 16 megapixels; a Verizon adiciona que quando ele está dobrado, “uma tela touchscreen externa de visualização rápida permite que você responda a notificações, tire selfies, toque música, use o Google Assistente, entre outras tarefas sem precisar abrir o telefone”.

O Slashgear obteve mais alguns detalhes do aparelho, incluindo que a tela principal é de tecnologia pOLED com uma resolução de 2.142 x 876, enquanto a tela externa de visualização rápida é um display OLED com resolução 600 x 800.

O processo de responder mensagens e e-mails usando esta tela externa requer o uso de resposta inteligentes ou o recurso de “ditado”, que converte voz em texto. Por dentro, ele tem um chip Snapdragon 710, 6 GB de memória RAM, 128 GB de armazenamento e Android Pie 9.

Diferente de boa parte dos aparelhos atuais topo de linha, ele não tem carregamento sem fio e conta com uma bateria de apenas 2.510 mAh, acompanhada de um carregador de 15W.

Isto é bem baixo considerando que, por exemplo, boa parte dos aparelhos mais recentes já ultrapassou a barreira dos 3.000 mAh. Além disso, o Razr tem apenas uma entrada USB-C (nada de conector de fone de ouvido de 3,5 mm), uma decisão amplamente criticada por consumidores acostumados a simplesmente conectar os fones de ouvido que tiverem de bobeira em casa. E apesar da Verizon falar nos EUA sobre redes 5G, o Razr é compatível apenas com redes 4G LTE.


Tradução: O novo Moto Razr tem uma engenharia na dobradiça bem legal que permite que a tela se dobre, mas não seja amassada. Mesmo dobrada a tela fica completamente plana e sólida.

De cara, esse dispositivo da Motorola parece muito mais prático que o Galaxy Fold e o Mate X, até porque estes últimos estão mais para “tablets dobráveis”. Este também é um novo passo à frente na popularização de dispositivos dobráveis — assumindo que a Motorola não terá problemas técnicos, como os enfrentados pela Samsung e a Huawei.

Se tudo der certo, o que está longe de ser garantido, early adopters ou entusiatas poderão optar pelo modelo da Motorola em vez dos seus concorrentes que são muito mais caros. Sem contar que a Motorola tem um fator nostalgia aí, pois o design do dispositivo é inspirado no saudoso Moto V3, que à época foi um dos celulares mais vendidos do mundo.

Nos EUA, o Moto Razr é vendido com exclusividade pela operadora Verizon, com a pré-venda começando em 26 de dezembro de 2019. No entanto, ele só chegará nas mãos dos consumidores em 9 de janeiro de 2020. No Brasil, a Motorola diz que ele estará disponível por aqui a partir de janeiro de 2020 e, por ora, tem um site com um cadastro para receber mais informações sobre o aparelho.

Sair da versão mobile