Um ser humano passa anos aprendendo e treinando até dominar um instrumento musical. Robôs precisam de muito menos tempo para isso, e uma banda robótica lançou um disco na semana passada. Conheça a Z-Machines.

Mach é o guitarrista com 78 dedos. Ashura, o baterista de 22 braços. Cosmo é o robô que toca teclado da melhor forma possível – com lasers. Com muito mais dedos e braços que seres humanos comuns, essa banda tem de tudo para superar qualquer outra no mundo. Menos a criatividade.

Criada por cientistas da Universidade de Tóquio, no Japão, a Z-Machines é uma banda incrível no papel, mas que só consegue reproduzir o que já existe. Uma banda de covers com super-poderes, podemos dizer assim. Felizmente, um artista do Reino Unido, encantado com a ideia de uma banda robótica, compôs uma música chamada “Sad Robot Goes Funny” e enviou para os pesquisadores japoneses. Este artista – que adota o nome de Squarepusher – gostou tanto do trabalho que compôs outras canções. Elas formam o álbum Music for Robots, lançado na semana passada.

Durante o processo criativo, Squarepusher teve que lidar com as características únicas da banda robótica. “O robô guitarrista, por exemplo, pode tocar com muito mais rapidez do que um humano, mas ele não tem controle de amplitude. Do mesmo modo que quando você compõe música para um artista humano, esses atributos devem ser levados em consideração – e um determinado intervalo de possibilidades musicais correspondem a esses atributos. Consequentemente, neste projeto, instrumentos conhecidos são usados de maneiras que até hoje eram impossíveis.”

Squarepusher quis compor músicas “emocionalmente envolventes”. O resultado é impressionante. As canções são bem agradáveis. O vídeo abaixo, divulgado pela Wired, mostra a primeira música da parceria entre Squarepusher e as Z-Machines: ouça agora mesmo “Sad Robot Goes Funny”. [Wired]