A NASA e a montadora Nissan estão trabalhando em um novo tipo de bateria para veículos elétricos que promete utilizar uma tecnologia inovadora de carregamento rápido. A informação é da CBS.

A bateria de estado sólido pretende substituir as tradicionais, feitas de íons de lítio, e terá a capacidade de alcançar a carga completa em apenas 15 minutos — em vez de algumas horas, como nas baterias atuais. Além disso, ela terá metade do tamanho das baterias utilizadas hoje em dia, sendo inclusive mais leve e segura.

A ideia é criar uma bateria do zero. Para isso, a Nissan e a NASA — bem como a Universidade da Califórnia em San Diego, nos EUA — estão utilizando um banco de dados para testar várias combinações de materiais para descobrir qual funciona melhor. Assim, será possível abandonar o uso de metais raros ou que são muito caros.

“As baterias de enxofre-selênio de estado sólido são frias ao toque e não queimam. Tem um perfil mais fino que as baterias de íon de lítio e tem melhor armazenamento de energia”, disse Rocco Viggiano, pesquisador da NASA, ao The Independent.

A expectativa é que a tal bateria comece a ser produzida em 2024, com o primeiro carro elétrico rodando com a nova tecnologia em 2028. “Tanto a NASA quanto a Nissan precisam do mesmo tipo de bateria”, ressalta Kazuhiro Doi, vice-presidente corporativo da Nissan.

Parceria entre a Nissan e a NASA

A parceria entre a montadora japonesa e a agência espacial americana vai muito além dos veículos terrestres. A Nissan — em conjunto com as empresas Teledyne Brown Engineering e a Sierra Space — estão desenvolvendo um veículo lunar para a NASA, que será utilizado para transportar astronautas na superfície da Lua, durante o programa Artemis.

Batizado de Lunar Terrain Vehicle (LTV), a Nissan pretende explorar possibilidades na área de autonomia e teleoperações, além de sistemas de gerenciamento de energia, conectividade de veículos e interface homem-máquina para os futuros rovers lunares inteligentes. Em seguida, a empresa espera aproveitar essas mesmas tecnologias em veículos na Terra.

“A participação neste projeto permite a extensão das capacidades de tecnologia e design de nossa indústria para a tecnologia espacial e vice-versa”, disse Maarten Sierhuis, diretor global do Alliance Innovation Laboratory, da Nissan.