A NASA interrompeu um teste de abastecimento do foguete da missão Artemis 1 na última segunda-feira (4), após detectar um problema em uma válvula de combustível. Esta foi a segunda tentativa mal sucedida da agência de completar o procedimento.

O teste consiste em encher 50% do tanque do foguete com 2,6 milhões de litros de oxigênio líquido super-refrigerado, mantido a cerca de -180° C. O objetivo é analisar como os sistemas se comportam com o carregamento de líquido em temperatura criogênica, além de treinar as equipes envolvidas nas atividades de pré-lançamento.

No domingo (3), a NASA já tinha interrompido o carregamento do oxigênio devido a um problema em um sistema de ventilação que pressuriza o foguete e mantém gases perigosos fora das áreas fechadas em que os técnicos trabalham.

A NASA pretende realizar uma coletiva de imprensa para detalhar a falha da última segunda, mas já adiantou que o problema estava em um painel que controla a válvula que alivia a pressão do combustível no interior do foguete.

O teste já tinha sido atrasado por várias horas para solucionar outro problema no controle de temperatura do oxigênio. Como as equipes já estavam no final de seus turnos de trabalho, foi decidido interromper o teste do dia.

Ainda não há informações sobre quando a NASA pretende fazer uma nova tentativa de abastecimento. A simulação é considerada importante, pois é o último grande teste antes do lançamento do foguete.

Durante a missão Artemis 1, a cápsula Órion viajará a 450 mil km da Terra e passará a cerca de 100 km da superfície lunar, antes de retornar à Terra e pousar no Oceano Atlântico. A viagem completa durará entre quatro a seis semanas. Imagem: NASA/Divulgação

NASA se prepara para o retorno à Lua

A missão Artemis 1 consiste em testar o novo foguete SLS (sigla em inglês para “Space Launch System”) e a espaçonave Orion no espaço, incluindo um voo ao redor da Lua e o retorno à Terra. A viagem não terá astronautas a bordo, mas deverá simular como será uma viagem tripulada real.

Por enquanto, a decolagem do foguete está programada para ocorrer a partir de 7 de maio, a depender do resultado dos testes que serão realizados nas próximas semanas. Se a missão for um sucesso, a expectativa é que 20 meses depois seja lançada a missão Artemis 2 com astronautas a bordo, mas sem pousar na superfície lunar.

Já o pouso na Lua não deve ocorrer antes de 2025, na missão Artemis 3. De acordo com a NASA, essa missão poderá levar a primeira mulher e a primeira pessoa de cor a pousar em território lunar. A agência espera que essas missões levem a construção de uma colônia lunar permanente e abram caminho para viagens tripuladas para Marte.