De acordo com a mais recente revelação do Washington Post, a NSA não está espionando só o que você faz na internet. A agência também cataloga as pessoas que você conhece, o que resulta numa quantidade de dados tão absurda que eles mal sabem como armazenar tudo isso.

A última reportagem do jornal, baseada nos documentos vazados por Edward Snowden e corroborada por agentes de inteligência em altos cargos, é uma das descobertas mais impressionantes já feita sobre a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos. A A NSA não está só coletando as listas de amigos e de contatos de e-mail dos usuários da internet, incluindo os americanos: ela está fazendo isso com tantas pessoas e numa velocidade que até parece ficção. De acordo com o relatório:

Durante um único dia do ano passado, o setor operacional de coleta de fontes da NSA recolheu 444.743 listas de contatos de e-mail do Yahoo, 105.068 do Hotmail, 82.857 do Facebook, 33.697 do Gmail e 22.881 de outros provedores não especificados…

E esse é só um dia normal. O que totaliza de cerca de 250 milhões de listas de endereços de e-mail a cada ano. Isso para não falar das 500.000 listas de contatos de bate-papo que a NSA intercepta diariamente.

Como eles fazem isso?

A NSA consegue interceptar todos esses dados através de acordos secretos com empresas de telecomunicação que não estão baseadas nos EUA, embora isso não queira dizer que somente pessoas fora dos Estados Unidos sejam os alvos. O Washington Post afirma que o número de cidadãos americanos espionados está perto das dezenas de milhões. A quantidade de dados interceptados, no total, é suficiente para “ocasionalmente surgir a ameaça de que eles estourarão os servidores de armazenamento”, de acordo com o jornal.

O truque da NSA para contornar a obrigação legal de atingir apenas alvos não americanos é coletar listas de contatos em massa a partir de pontos de acesso à internet fora dos EUA. E como a agência não está levantando as informações diretamente de servidores corporativos, mas interceptando os dados quando eles passam de uma estação de internet para a próxima, a NSA não precisa pedir a permissão das empresas de comunicação. Afinal de contas, é mais fácil roubar um carro forte da Brinks do que arrombar o cofre de um banco, certo?

Isso também explica por que o Yahoo tem uma maior proporção de contatos sendo interceptados: diferentemente da maior parte dos serviços que a NSA espiona, aponta o Washington Post, o Yahoo não oferece conexões criptografadas como padrão para seus usuários.

Por que isso é importante?

À primeira vista, a interceptação de listas de contatos pode parecer menos invasiva do que telefones grampeados ou contas de e-mail invadidas. Mas, na prática, você pode descobrir muito mais sobre uma pessoa através da rede de contatos dela do que analisando telefonemas ou lendo e-mails.

Saber com quem alguém está em contato permite que a NSA trace toda a vida pregressa da pessoa e daqueles que ela conhece. Listas de contatos de e-mails não são só endereços do Hotmail. Elas muitas vezes contêm números de telefone, endereços residenciais, listas de membros da família, apelidos. Não são somente os seus dados. São informações sobre todas as pessoas que você conhece.

O mais perturbador é que isso parece ser apenas a ponta do iceberg. A abordagem da NSA é muito clara sobre coletar a maior quantidade possível de informação, mas esse novo relatório redefine as possibilidades da espionagem de civis. Se a agência continuar com a marca de 250 milhões de pessoas espionadas por ano, ela levará menos de uma década para catalogar os dados de cada pessoa da internet. [Washington Post]