Por Jonathan Ackerman.

É isso aí, você não leu errado. Acabamos de receber um interessante email da Brightcove (os caras que distribuem vídeos) sobre os problemas com a solução baseada em Flash que usam e o Windows 8 rodando o novo Internet Explorer 10.

Citando-os:

Queremos avisá-los que o desenvolvimento da Microsoft em torno do Windows 8 talvez afete seu conteúdo em vídeo distribuído através da Brightcove Video Cloud.

Bastidores
A Microsoft deve lançar a próxima versão do Windows, o Windows 8, em 26 de outubro. Com o Windows 8, a Microsoft tomou a decisão de liimtar o uso do Flash como um meio de entregar conteúdo e dar prosseguimento ao conceito de experiência livre de plugins no Internet Explorer 10. Como resultado, sites não poderão usar o Flash no IE10 a menos que eles tenham aprovação prévia e caia na lista branca da Microsoft.

O que isso significa para você
A experiência de navegação padrão na nova interface do Windows não permitirá o Flash a menos que o site seja aprovado e tenha acesso liberado pela Microsoft. Assim, se um cliente da Brightcove Video Cloud estiver em busca de uma experiência de exibição completa comparável à do atual Windows 7, ele terá que submeter um pedido à Microsoft para que seja liberado.

Minha reação inicial foi “como assim???” e uma rápida busca na web mostrou que ainda há muita confusão no que tange ao real comportamento do IE10. Entretanto, a Brighcove colocou um link no email para um útil artigo de suporte da Microsoft que deixa tudo mais claro.

Basicamente:

  • O Windows 8 vem com duas (!) versões do Internet Explorer 10. Uma para a experiência na área de trabalho, outra para a nova interface do Windows.
  • Ambas vêm com uma versão embutida do Flash, mas a versão para a nova interface não rodará o Flash a menos que seu site esteja na lista branca da Microsoft. A versão da área de trabalho roda o Flash normalmente.
  • Você pode acrescentar uma meta tag em suas páginas que pedirá ao usuário para abrir seu site no IE da área de trabalho se ele visitá-lo pela versão da nova interface (uma experiência adorável, só que não).
  • Por fim, o artigo dá detalhes sobre como ter seu site adicionado à lista branca. É preciso enviar um email à Microsoft com detalhes do site e de como ele se adequa às Diretrizes de Conteúdo em Flash da Microsoft.

Enterrado no artigo está a seguinte justificativa para a diferença de comportamento entre as versões do Internet Explorer em relação ao Flash:

“Embora qualquer site possa executar conteúdo em Flash no Internet Explorer 10 da área de trabalho, apenas sites que estejam na lista de Compatibilidade de Visualização (CV) podem executar conteúdo em Flash no Internet Explorer da nova interface do Windows. Colocamos sites com conteúdo em Flash na lista CV se eles entregam a melhor experiência ao usuário no Internet Explorer 10 nesses sites. Por exemplo, quão responsivo o conteúdo é a toques [com os dedos]? Ele funciona bem com o teclado na tela, ou afeta a autonomia da bateria? Os alertas visuais estão em consonância com as diretrizes de experiência do usuário da Loja do Windows? Sites que se apoiam em funcionalidades (por exemplo, eventos de rolagem e função P2P [peer-to-peer]) que não são suportadas pelas diretrizes de UX do Windows para apps da Loja, e que não fiquem seriamente prejudicados ante a sua abstenção, se dão melhor rodando no Internet Explorer 10 da área de trabalho com Flash.”

O que parece razoável, mas meio que diminui a importância de ter a nova interface do Windows em desktops e notebooks (e como padrão). Será interessante ver a reação das pessoas à chegada do Windows 8 no próximo dia 26 de outubro. Suspeito que será um chororô e mimimi dos grandes.