Se tem uma equipe de super-heróis que consegue se manter atemporal são os X-Men. Desde o primeiro filme, lançado nos anos 2000, muitas pessoas passaram a acompanhar cada vez mais este universo cinematográfico que antes era encontrado nos quadrinhos. Entre reboots, spin-offs e conteúdos extras, é fácil se sentir perdido quando você quer saber por onde começar.

Por isso, o Gizmodo Brasil organizou a ordem cronológica dos filmes disponíveis no catálogo do Disney+ para você curtir na segurança de sua casa. Não se preocupe não terá spoilers! Confira:

X-Men: Primeira Classe (2011)

Mesmo sendo o quinto filme da franquia X-Men, é considerado o primeiro por ser um filme de origem dos principais personagens deste universo como Charles Xavier (James McAvoy), Erik Lensherr (Michael Fassbender), Mística (Jennifer Lawrence) e Fera (Nicholas Hoult). Em uma mistura bem-feita entre realidade e ficção, a história se passa em 1962, durante a crise dos mísseis em Cuba. Mesmo vindos de criações completamente diferentes, os jovens Xavier e Lensherr se unem para conseguir barrar os planos do aristocrata Sebastian Shaw (Kevin Bacon), que planeja realizar uma Terceira Guerra Mundial ao lado de seu Clube do Inferno. Formando uma pequena força-tarefa de mutantes, vemos o que seria o pontapé para a criação dos X-Men.

X-Men: Dias do Passado Futuro (2014)

Este filme é um verdadeiro crossover entre a trilogia original, iniciada nos anos 2000, e as novas obras lançadas. No começo, somos apresentados a um mundo futurístico datado de 2023 – onde existiam robôs gigantes chamados de Sentinelas. A partir dos poderes de Kitty Pryde (Elliott Page), Wolverine (Hugh Jackman) é enviado ao passado, mais especificamente em 1973, para impedir a morte do criador dos Sentinelas, Bolivar Trask (Peter Dinklage), pelas mãos de Mística. Muitos o consideram um dos melhores filmes da franquia X-Men, especialmente pelas interações entre os personagens e o enredo criativo que soube dar espaço para o desenvolvimento de cada mutante.

Origens dos X-Men: Wolverine (2009)

É unânime dizer que o personagem Wolverine é um dos mutantes favoritos de todos os fãs dos quadrinhos. Unido ao talento e carisma de Jackman, ele é considerado o mais forte de todos até pela própria Marvel. Então, estava mais do que certo ele ter seu filme solo. O longa é uma viagem pela infância até a vida adulta de Wolverine, apresentando seu relacionamento com o irmão, Victor Creed (Liev Schreiber) e como ele adquiriu suas garras e sua força descomunal bem característica. Se você gosta de uma boa dose de humor e ação, é um filme ideal. Um pequeno adendo: a cena pós-crédito não tem relevante para a compreensão dos filmes.

X-Men: Apocalipse (2016)

Este é um daqueles filmes que você pode assistir caçando referências do universo X-Men em várias cenas. Na trama, podemos ver uma versão bem divertida da escola de Xavier, além de versões bem interessantes de Scott Summers (Tye Sheridan) e Jean Grey (Sophie Turner). O vilão fica por conta de En Sabah Nur (Oscar Isaac), ou Apocalipse, o primeiro mutante existente no mundo, tido por muitos como uma espécie de Deus. Existem aparições de vários personagens especiais dos quadrinhos como Psylocke (Olivia Munn) e Noturno (Kodi Smit-McPhee). É um filme que foi feito para o agrado dos fãs, tanto que apresenta uma cena que viralizou na internet: Mercúrio (Evan Peters) ao som de “Sweet Dreams (Are Made of This)”.

X-Men (2000)

Considerado o clássico dos clássicos, este foi o filme que iniciou toda a história dos X-Men nos cinemas. Reunindo em seu elenco nomes como Anna Paquin, James Marsden, Halle Berry, Rebecca Romijn, Tyler Mane, Bruce Davison, Ian McKellen e Patrick Stewart, foi um sucesso de bilheteria, arrecadando em apenas um final de semana cerca de US$ 55 milhões, além de ter recebido muitas críticas positivas por parte de especialistas e do próprio público. Em resumo, até por ser o primeiro filme, a história mostra o dilema dos mutantes em conviver socialmente com outras pessoas que não entendam ou sentem medo de seus poderes. Um fun fact: foi a partir desta obra que Stan Lee, criador de inúmeros personagens da Marvel, começou a gravar os seus cameos inusitados.

Assine a newsletter do Gizmodo

X-Men 2 (2003)

Quando um novo mutante realiza um ataque quase mortal ao Presidente dos Estados Unidos, a equipe dos X-Men se depara com uma sociedade movida pelo raiva ao mutantes e uma medida que obriga o registro de cada um deles. William Stryker (Brian Cox), um militar que fez parte do passado de Wolverine, está por trás da ação, mas seu plano tem um intuito mais sombrio: erradicar todos os mutantes. Com ajuda de aliados inesperados, uma união é formada em defesa da sobrevivência, criando momentos empolgantes e diálogos marcantes. Dentre muitas cenas memoráveis, cito a cena em que Ciclope (James Marsden) ouve “Bye, Bye, Bye” da banda pop NSYNC. Um momento de alívio cômico em meio ao drama e ação.

X-Men 3: O Confronto Final (2006)

Após os acontecimentos do último filme, a notícia de que existe uma cura para os mutantes se torna de conhecimento geral. Assim, existe uma clara divisão entre aqueles que são contra e a favor. Seguindo a Saga da Fênix Negra, muito popular entre os fãs dos quadrinhos, a personagem Jean Grey ganha muito destaque ao longo do filme. É um filme que se destaca por trazer maior profundidade sobre a relação entre os mutantes e a sociedade, uma vez que agora eles estão em maior número e formaram uma comunidade que fornece apoio. É muito interessante acompanhar algumas dinâmicas e diálogos entre os personagens, especialmente se pensarmos como tudo isso se daria se fosse a realidade do nosso mundo. É uma finalização bem bacana para a trilogia original, que deixou sua marca na história do cinema.

Wolverine Imortal (2013)

Em todos os filmes, sempre vimos um Wolverine forte, imponente e que buscava fazer aquilo que achava correto. Por isso, em Wolverine Imortal, somos apresentados a um Logan mais vulnerável, que sente o peso dos acontecimentos de O Confronto Final e de toda a sua trajetória. É um filme bem interessante, com ótimas atuações e um enredo que faz jus ao personagem. A maneira com que o transtorno de estresse pós-traumático é retratado faz com que a gente se sinta mais próximo do personagem, o que torna mais fácil compreender a relação consigo mesmo e suas lutas internas. É uma obra para quem é fã do Wolverine, dos quadrinhos aos filmes.

Bônus

X-Men: animação (1992-1997)

Agora você pode conferir uma das animações de maior sucesso dos X-Men. Com um total de 5 temporadas e 76 episódios, a obra serializada apresentou vários arcos conhecidos dos quadrinhos, além de mostrar momentos únicos, como o multiverso Marvel. Vale a pena conferir, especialmente se você tem interesse em se aprofundar no universo destes heróis.

Você pode assistir todos os filmes do X-Men no Disney+. Clique aqui para assinar.

Assinando pelo link acima, você não paga nada a mais e o Gizmodo Brasil ganha uma comissão.