Em 2017, você surgiu. Em 2018, estava em praticamente todos os smartphones lançados. Em 2019, eu quero que suma.

Notch, você é uma aberração. Eu falei que te odeio em muitas ocasiões. Em outras, não fui o responsável pelas palavras, mas concordava com os argumentos.

• A incrível evolução dos recortes nas telas dos smartphones: das grandes bordas às telas completas

Há quem diga que a Apple precisava de você para tornar o iPhone indefectível nesta nova era – além de, é claro, abrigar sensores e câmera frontal. Me parece não ter adiantado muito (você é apenas uma distração) e, mesmo que muitos Androids tenham te adotado, muitos tinham uma opção para escondê-lo.

Inclusive, até a Apple tentou te esconder. Ou vai me dizer que é normal um papel de parede preto justamente em suas curvas?

Sei que a sua presença era inevitável. Ainda assim, espero que você nos deixe em breve.

Uns chineses doidões lançaram uns mecanismos aparentemente ultra frágeis para te deixar de lado. Eu respeito a tentativa deles e penso que aos poucos chegaremos em algum lugar – e gostaria muito de ter a oportunidade de testar uma dessas maluquices.

Doideira

Acho um desperdício deixar de lado ideias do Galaxy Note 9 e Galaxy S9. Embora se desperdice um tantinho de tela na parte de cima, esteticamente é melhor.

E a Samsung, justo aquela que parecia te abominar, tem algumas soluções para o próximo ano. São seus primos de primeiro grau. Ainda não estou certo dos meus sentimentos pelo display “olhinho”, mas confesso que achei bem feio. O pior são os notchs em formatos de “V” e “U”.

Os notchs de 2019 deverão ser assim. Imagem via Android Authority

Aparentemente, essa é a tendência para 2019. Se eu pudesse pedir algo para o Papai Noel, pediria o fim dos entalhes nas telas dos celulares. O presente não deve chegar para o próximo ano, mas é uma evolução ao que temos hoje é parte da história da era de telas sem bordas. Daqui alguns anos, estaremos tirando uma onda com a sua cara, notch, e lembrando o quão imbecil era ter um negócio como esse.