A Apple supostamente entrou com um pedido de patente para trazer o Force Touch para o Touch Bar do MacBook. A tecnologia de detecção da pressão do toque na tela foi abandonada em seus smartphones e smartwatches.

Na quinta-feira (26), o US Patent and Trademark Office publicou um pedido de patente que mostra uma versão atualizada do Touch Bar do MacBook, identificada pelo 9to5Mac e pelo Patently Apple. A nova versão parece praticamente idêntica à atual, com exceção do circuito adicional que inclui recursos do Force Touch, indicando que podemos ver mais dessa novidade nos MacBooks redesenhados do ano que vem (isto é, fora do trackpad).

O Force Touch é a tecnologia de feedback tátil da Apple que pode detectar variações sutis na pressão e responder de maneira diferente, dependendo da força com que você toca no dispositivo. A empresa começou a incorporá-lo ao trackpad do MacBook em 2015 para manter todas as funcionalidades de um trackpad tradicional sem a necessidade de botões mecânicos.

A Apple adicionou o recurso a seus iPhones no mesmo ano sob o nome de 3D Touch, mas ele foi posteriormente descontinuado e substituído pelo Haptic Touch, uma versão menos sensível que descartou muitas das capacidades de seu antecessor, começando com a série iPhone 11. A linha de smartwatches da Apple incluía o Force Touch desde o primeiro modelo, até que a empresa abandonou abruptamente o suporte ao watchOS 7 no início deste ano.

É por isso que a novidade está causando estranhamento: parece que a Apple vai apostar no recurso em sua série de laptops depois de abandoná-lo em outros dispositivos. A patente, apresentada originalmente em maio de 2019, não fornece detalhes sobre como o Force Touch funcionaria no Touch Bar do MacBook. Como o 9to5Mac aponta, ele poderia ser usado para evitar toques acidentais, um aborrecimento que os usuários do MacBook reclamaram há anos.

Atualmente, a Apple inclui o Touch Bar apenas em seu modelo de laptop de ponta, o MacBook Pro. O minúsculo display OLED sensível ao toque substitui a faixa de teclas de função ​​na parte superior do teclado. A ideia é permitir que o usuário configure atalhos e funções mais elaborados do que seria possível com teclas físicas.

Essa era a ideia, pelo menos. Na prática, os usuários reclamam que quase nunca usam essa função ou, se o fazem, é sem querer. Depois de lançar o Touch Bar em 2016, a Apple não atualizou o produto de nenhuma forma significativa, e a localização no teclado torna muito fácil acioná-lo acidentalmente. Adicionar uma tecnologia de feedback tátil mais sofisticada certamente poderia ajudar nesse aspecto.