O Founder Institute é uma organização que procura ajudar empreendedores ao redor do mundo a criar e manter empresas de tecnologia inovadoras. Eles têm uma série de programas de treinamento, em várias cidades do mundo. Vale a pena dar uma olhada nos programas, explorar as possibilidades e checar o que é mais adequado para você no site deles. 

SELFIE STARTUP: o programa do Gizmodo para ajudar empresas jovens e promissoras 



NOVIDADE BOA: Empresa no Selfie Startup recebe rodada de investimento 

Pois bem. Uma das missões do Founder Institute é oferecer algumas dicas simples para startups. Em um dos textos do site, eles listam 10 passos para testar uma ideia de negócio, para fazer um exame naquele sonho que você quer tirar do reino mágico da madrugada. Listamos alguns deles abaixo. Se você quer ter uma startup, vale a pena ficar com isso na cabeça. Se você já tem uma startup, também vale a pena ler – afinal, não dá para desprezar o conselho de quem está nessa faz um tempo.

E lembre-se: se você precisa divulgar sua startup, se precisa falar dela para o mundo, o Gizmodo te ajuda. O programa Selfie Startup dá visibilidade à sua startup por um preço muito abaixo do que nós costumamos cobrar de empresas já estabelecidas. É a nossa forma de ajudar quem está começando e de promover o empreendedorismo no Brasil. Quer saber mais? É só acessar o site do programa.

Então, agora, vamos à lista:

1) Você é apaixonado pelo seu negócio e pela missão da sua empresa. O Founder Institute afirma que empresas conduzidas por pessoas apaixonadas são mais bem sucedidas do que companhias criadas apenas para fazer dinheiro.

2) Seja simples – mas não pense pequeno. Grandes negócios começaram com uma ideia simples, prática, que resolve um problema evidente. E, a partir dessa ideia, construíram grandes negócios. O Google, no final das contas, era um buscador. Hoje, praticamente organiza a internet como nós a conhecemos.

3) Tenha ao menos uma fonte de faturamento clara. Os criadores do Founder dizem que, sim, você pode ter uma empresa sem um modelo de faturamento claro, como o Instagram, e torcer para ser comprado por alguém. Mas isso, no final das contas, é sorte – e você não quer colocar o futuro da sua empresa no destino.

4) Poucos passos para gerar receita. Se o seu negócio for complexo demais, as receitas vão demorar mais a vir – e você pode se cansar ou desanimar no meio do caminho. O seu modelo de faturamento, a sua fonte de renda, tem de ser simples.

5) Você precisa conhecer o consumidor. Parece uma obviedade, mas ainda existem negócios feitos na base do achismo. Se você não conhece quem vai usar seu produto, logo você NÃO tem um problema para resolver. Portanto, dificilmente vai conseguir criar um bom negócio a partir disso.

6) Você conhece o mercado. Sim, você precisa saber onde você está entrando. Dificilmente você vai explorar um mercado virgem. Então, como você vai se diferenciar das outras pessoas e empresas que estão disputando espaço com você?

7) O mercado tem de ser razoavelmente grande. Como diz o Founder Institute, grandes mercados podem alavancar empresas horríveis. Mercados ruins, por outro lado, podem afundar empresas promissoras. Saiba onde você está se metendo. Pode ser tentador criar uma companhia para servir um nicho ultraespecífico. Mas talvez esse nicho não seja suficientemente grande para pagar as suas contas.

8) Tenha um segredo. Sim, tenha um segredo. Depois de ter estudado o mercado, de ter entendido seu consumidor, o que você vai fazer que ninguém fez ainda? Ou de uma forma que ninguém fez? Qual é o pulo do gato? Lembre-se que o Instagram, por exemplo, criou… filtros. Era mais um serviço de compartilhamento de fotos, é verdade. Mas, nele, as suas fotos de comida saíam bonitas…

9) Você tentou matar a sua ideia – e não conseguiu. A sua ideia precisa passar por grandes dificuldades, viver altas aventuras, sofrer grandes riscos. Se ela sobreviveu a todas as suas tentativas de matá-la, então ela é forte o suficiente para sobreviver no mercado. Se ela sobreviveu a uma noite de insônia e ansiedade, então está preparada para virar realidade.

10) Você precisa compartilhar a sua ideia. Todo mundo tem medo do furto maroto, da ideia roubada. Só que a execução é tão importante quanto a ideia. Por isso, fale da sua ideia para outras pessoas. Teste em conversas. Ouça os retornos, as opiniões. Aprenda com as pessoas. Porque a diferença, mesmo, será a execução.

Lê em inglês? Então você ler o post completo do Founder Institute aqui.