Foi da fome e da necessidade de refeições mais em conta que nasceu o mais novo conceito que ameaça a força de trabalho humana na sociedade tecnológica que estamos construindo. Engenheiros do MIT abriram, em Boston, o primeiro restaurante cujos pratos são preparados por robôs.

Este robô chapeiro que vira hambúrgueres começou a trabalhar essa semana
França pode proibir o uso de termos relacionados a carne em produtos de origem vegetal

O Spyce, restaurante que conta com apoio do renomado chef francês Daniel Boulud, foi criado por quatro pós-graduandos do MIT que estavam cansados de pagar um preço alto por suas refeições. Eles, então, bolaram um sistema que prepara a comida de maneira mais barata e em menos de três minutos.

“O Spyce é o primeiro restaurante do mundo com uma cozinha robótica. Basicamente, nosso objetivo é usar a automação para oferecer refeições completas, de alta qualidade e deliciosas por um preço bastante razoável”, disse Luke Schlueter, chefe de engenharia mecânica na equipe do restaurante, ao site da escola de administração do MIT.

Restaurante Spyce. Crédito: Divulgação

O processo é simples: os clientes chegam ao restaurante e fazem seu pedido em uma tela touchscreen. Todos os pratos começam com um valor a partir de US$ 7,50, que podem ser incrementados com ingredientes especiais. O cardápio do restaurante consiste de sabores vistos normalmente nas cozinhas asiática, mediterrânea e latina. Depois da escolha no cardápio, recipientes despejam os ingredientes em uma das sete frigideiras wok, que ficam levemente inclinadas para que os clientes vejam sua comida ser preparada através do balcão.

A comida é cozida e misturada em altas temperaturas. Depois disso, os woks se viram e colocam a comida em uma tigela. Nós, humanos, ainda temos alguma utilidade neste futuro imaginado pelo Spyce, já que os toques finais do prato são feitos por uma pessoa, que ajeita o pedido e acrescenta alguns ingredientes finais, como coentro e queijo de cabra.

Inaugurado em 3 de maio no centro de Boston, o Spyce teve um processo longo de concepção, que levou mais de dois anos e dezenas de receitas para chegar ao produto “final”. Os criadores do restaurante dizem que, daqui em diante, os próximos meses terão um foco em testes e validação de conceitos, e o objetivo é abrir mais estabelecimentos na área de Boston.

Panelas robóticas. Crédito Divulgação

[MIT SloanCurbed]

Imagem do topo: Divulgação