Quase todo mundo entrou na onda dos fones de ouvido True Wireless, também conhecidos como fones de ouvido sem fio mesmo. A Samsung está nessa há um tempão, a Apple fez sucesso com os AirPods e várias empresas entraram nesse ramo, da Xiaomi até a Philips.

Apesar da praticidade, os fios ainda têm um papel importante, seja por estender a autonomia dos seus fones de ouvido ou simplesmente evitar que uma das pontas se perca. Neste cenário, sobretudo para desastrados, entram opções como o caro Powerbeats 4, da Apple. Ele é um fone Bluetooth, mas tem um fio conectando as duas pontas.

[produto_amazon1]

Longe de mim querer ser o antiquado e defender um mundo apenas com fios, mas antes de ir para os detalhes do fone, é importante discorrer sobre tecnologia. Atualmente, em fones True Wireless, apenas uma ponteira do fone de ouvido recebe a música do seu smartphone; a outra simplesmente replica o que está no outro. Não existe transmissão simultânea para os dois canais auriculares, apesar de a indústria estar trabalhando por isso.

Fone Powerbeats 4De propósito ou não, unindo os dois forma um coração. Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Na prática, em um fone True Wireless, se você perde uma das ponteiras, sobretudo se for a que recebe o sinal do seu telefone ou computador, já era. Sem contar que os fones desta categoria têm autonomia menor comparado com as opções Bluetooth com fio. O Powerbeats Pro, o true wireless da Beats com cancelamento de ruído, tem autonomia de 9 horas, enquanto o Powerbeats 4 pode ficar longe da tomada por até 15 horas (e não tem cancelamento de ruído, vale ressaltar).

Detalhes à parte, o Powerbeats 4 é, no fim das contas, aquele fone bom para quem gosta de praticar esportes e não sente muita segurança em modelos true wireless. Durante meu tempo de uso, por exemplo, não tive problemas em correr com ele ou simplesmente pular corda. A autonomia dele corresponde com o que é prometido pela Beats: eu o utilizava diariamente para uma caminhada de 1h30min perto de onde eu moro; ao todo, ficava sem carregá-lo por quase 10 dias.

Detalhe do encaixe do cabo para carregar o Powerbeats 4Detalhe do encaixe do cabo Lightning para carregar o Powerbeats 4. Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

O suporte dele que envolve a orelha é bem confortável e não incomoda. Agora, o que levou um tempo para me acostumar é justamente a ponteira dele, que vai no canal auricular. Se você reparar na imagem (abaixo), notará que ele fica para cima e isso encheu bem a paciência nas primeiras horas de uso, ao ponto de usar 10 minutos, começar a doer e tirar do ouvido. Talvez meu ouvido não fosse anatômico o suficiente para o fone, mas com o tempo não tive mais problemas e, talvez, um canal auricular modificado pelo acessório. Espero que isso me dê alguma vantagem evolutiva tal qual pregava Charles Darwin.

Powerbeats 4Ponteira do fone fica para cima, o que incomodou um pouco. Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Fisicamente, ele é bem simples. Na ponta esquerda, ele tem o botão de liga e desliga; já na ponta direita, há dois botões para controle de volume e um botão no logotipo da Beats que possibilita dar play/pause numa música (dupla apertada faz avançar para a próxima faixa), além de atender chamadas.

Sobre o som, a qualidade é bem boa, e o volume pode ser bem alto. No início achava muito baixo, mas aí me lembrei do controle físico do fone, e a parada aumentou demais. Enfim, mesmo que você controle o áudio pelo smartphone, não custa checar como está o volume no próprio acessório.

Detalhe de botões do Powerbeats 4Detalhe dos botões do Powerbeats 4. Crédito: Guilherme Tagiaroli/Gizmodo Brasil

Como todos aparelhos da Apple, para parear com o iPhone foi tranquilo — bastou ligar o Powerbeats 4 do lado do smartphone, e ele já fez todo o trabalho. No Android, ele também pareou relativamente rápido, mas precisei ir no menu Configurações > Bluetooth e escolhê-lo. Porém, para ter detalhes da bateria, só baixando o app da Beats no Google Play.

De modo geral, o Powerbeats 4 é uma ótima opção para quem curte praticar esportes e preza por uma longa duração de bateria. Por ser um produto Apple, não é o mais barato (tem preço sugerido de R$ 1.299), mas é o que oferece maior opção de cores e uma interface sem muita frescura.

Bolsa e cabo carregador do Powerbeats 4
Bolsa e cabo carregador (USB-A–Lightning) do Powerbeats 4

Se você quiser dar uma olhada em outros modelos, uma opção é o Sony WI-SP510 que tem preço sugerido de R$ 500 e recursos semelhantes, inclusive com a promessa de ficar longe de um carregador por 15 horas. Outra possibilidade é o JBL Reflect Contour 2, que tem preço sugerido de cerca de R$ 300, mas tem autonomia menor, de 10 horas.

O Gizmodo Brasil pode ganhar comissão sobre as vendas. Os preços são obtidos automaticamente por meio de uma API e podem estar defasados em relação à Amazon.