Richard Branson, bilionário fundador da Virgin Galactic, anunciou na última quinta-feira (1º) que viajará além da atmosfera terrestre em um teste no próximo dia 11. Se o lançamento correr de acordo com os planos, ele será o primeiro bilionário a ir para o espaço, batendo o recorde nove dias à frente de Jeff Bezos, CEO da Amazon, que também tem seu voo agendado.

“Sempre fui um sonhador”, diz Branson em um tweet. “Minha mãe me ensinou a nunca desistir e a alcançar as estrelas. Em 11 de julho, é hora de transformar esse sonho em realidade a bordo do próximo voo espacial da Virgin Galactic.”

Dois pilotos e quatro especialistas estarão na VSS Unity com o ricaço, testando uma “experiência privada de astronautas”, como a Virgin disse em um anúncio. A missão Unity 22 será o quarto teste tripulado da agência de turismo, sendo um marco importante na corrida da comercialização de viagens espaciais.

“Eu realmente acredito que o espaço pertence a todos nós”, disse Branson em um comunicado oficial. “Após 17 anos de pesquisa, engenharia e inovação, a Virgin Galactic está na vanguarda de uma nova indústria espacial comercial, pronta para abrir o universo para a humanidade e mudar o mundo para sempre.”

Enquanto isso, a Blue Origin anunciou no mês passado que Bezos, fundador da empresa, viajará para o espaço a bordo de seu primeiro voo tripulado de seu veículo suborbital New Shepard, em 20 de julho. Ao lado de vários membros da tripulação, ele se juntará a seu irmão, Mark, e a um viajante misterioso que gastou nada menos que US$ 28 milhões (cerca de R$140 milhões) para arrematar a honra de juntar-se a eles.

A Reuters relatou recentemente que Branson estava considerando “acelerar” sua própria missão para bater a data prevista para a viagem de Bezos. A Virgin Galactic deu um passo significativo para tornar isso realidade na semana passada, quando obteve uma licença atualizada da Administração Federal de Aviação (FAA) para incluir clientes pagantes em seus voos espaciais.

Assine a newsletter do Gizmodo

Até o momento, a Unidade VSS (projetada para transportar até seis passageiros e dois pilotos) completou um total de 21 voos de teste. Após a viagem de Branson, dois voos adicionais estão programados antes que a Virgin Galactic inicie o serviço comercial em 2022, conforme dito pela empresa na quinta-feira. Há cerca de 600 reservas para voos futuros, cada passagem custando entre US$ 200 mil e US$ 250 mil – cerca de R$ 1 milhão e R$ 1,2 milhão, respectivamente.