O primeiro Galaxy Note foi o telefone que iniciou toda a tendência das telas grandes. Nove gerações depois, ele ainda tem uma das maiores do mercado, junto com outras características únicas, como uma caneta embutida, especificações de topo de linha e um preço altíssimo. Além disso, há um segundo modelo que é menor do que você poderia esperar.

O Galaxy Note fica em uma encruzilhada: a Samsung deve seguir um caminho tradicional para usuários avançados e pessoas que se importam com a produtividade e os negócios ou, talvez, tentar seguir um caminho um pouco diferente?

Baseado em meu curto período de tempo usando o Galaxy Note 10, parece que a Samsung está fazendo um pouco dos dois. Isso porque, pela primeira vez na linha Galaxy Note, a Samsung oferece duas versões: uma menor, com tela de 6,3 polegadas, e uma maior, com tela de 6,8 polegadas.

Embora possa parecer contraintuitivo, o Note 10 padrão, de 6,3 polegadas é, na verdade, a “nova” entrada para a linha. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Duas versões de tamanhos diferentes

Para os fãs mais leais do Galaxy Note, o Note 10+ de 6,8 polegadas é o sucessor “real” do Galaxy Note 9 do ano passado. O Note 10+ tem basicamente as mesmas dimensões que o Note 9, mas com bordas menores, uma tela maior e um corpo ligeiramente mais leve. Enquanto isso, o Note 10 de 6,3 polegadas é voltado para atrair pessoas que gostam da ideia de ter uma caneta os variados recursos de produtividade da linha. A única diferença é que ele é um pouco menor e mais fácil de transportar.

A Samsung também mudou o lugar da câmera selfie. Ela continua em um buraquinho, como no Galaxy S10, mas agora fica em um local mais central que, junto com uma seleção de esquemas de cores atraentes, deveria evocar uma aparência mais Zen. Pessoalmente, acho que a câmera frontal bem no meio e no topo da tela pode ser uma distração desnecessária.

Embora a localização central da câmera selfie torne o Note 10 mais simétrico, ainda não sei se gosto mais do que deixá-la escondida em um canto. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

No Note 10+, a Samsung aproveita todos os componentes sofisticados que você espera de um telefone de topo de linha. Isso inclui uma tela AMOLED de resolução 3.040 x 1.440 pixels com certificação HDR10+, 12GB de RAM, slot para cartão microSD e uma bateria de 4.300 mAh. São quatro câmeras traseiras: principal, wide e zoom 2x, mais um sensor especial time-of-flight (ToF) DepthVision para calibrar de maneira mais precisas distâncias e objetos.

No entanto, o Note 10 padrão tem que se contentar com algumas reduções de especificações. Isso inclui uma tela Full HD+ de 2.280 x 1.080 pixels de resolução, nada de slot para cartão microSD, nada de câmera DepthVision e apenas 8 GB de RAM em vez de 12 GB. Pelo menos, para compensar a falta de um slot microSD, a Samsung dobrou a quantidade de armazenamento base tanto no modelo básico quanto no Note 10+ para 256 GB. Se você quiser, tem opção de 512 GB também.

Adeus, saída para fones de ouvido

Ah, e nós precisamos falar nisso. Nem o Note 10 nem o Note 10+ têm conectores de fone de ouvido. É a primeira vez que isso acontece entre os topos de linha da família Galaxy. É um pouco triste, especialmente para uma linha que tradicionalmente inclui todos os recursos que você poderia desejar.

Em resposta, a Samsung diz que, ao contrário dos proprietários de telefones Galaxy S, cuja preocupação número um é obter uma câmera melhor, os proprietários do Galaxy Note ainda valorizam a vida útil da bateria acima de tudo. Então, ao remover o conector de fone de ouvido, a Samsung conseguiu tornar a bateria do Note 10 um pouquinho maior. Dito isto, vale observar que a bateria de 4.300 mAh no Note 10+ ainda é um pouco menor que a bateria de 4.500 mAh no Galaxy S10 5G.

Embora isso provavelmente não compense a perda do fone de ouvido, a Samsung também eliminou o botão Bixby. Não se engane: a Bixby ainda está no aparelho e pode ser ativado ao apertar e segurar o botão de bloqueio. Mas, agora, o botão de bloqueio também pode ser personalizado para executar várias funções diferentes, incluindo a própria Bixby, abrir o aplicativo da câmera e muito mais.

No entanto, isso também significa que, dependendo da configuração, o processo de ligar e desligar o telefone pode ser um pouco diferente. Para desativar o telefone, é necessário procurar o novo botão virtual de energia na área de notificações.

Usar o Galaxy Note como computador está mais fácil do que nunca

Configurar o DeX em um laptop ou desktop agora é tão fácil quanto conectar o telefone para carregar. Não há necessidade de um cabo separado ou um monitor externo. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Esse botão de energia nas notificações não é o único ajuste de software. Os novos recursos são justamente a parte mais interessante do Note 10. Há anos eu defendo que o modo de desktop DeX da Samsung é um dos recursos de smartphone mais subestimados do mercado.

O problema para a Samsung é que a versão anterior do DeX exigia um dock especial, que as pessoas simplesmente não queriam levar por aí (ou comprar). A empresa chegou a simplificar as coisas, disponibilizando o DeX com apenas um cabo USB-C para HDMI. Mesmo assim, esse não é um cabo que você encontra por aí.

O Note 10 conseguiu até mesmo entender e converter minha escrita, que é terrível. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

De fato, melhor compatibilidade com máquinas Windows é um grande assunto para o Note 10, pois além de ser mais fácil no uso do DeX, a Samsung também criou um novo app “Link to Windows” que permite que você sincronize fotos, textos e outros dados com o Note 10 e um computador com Windows 10.

A caneta S-Pen também tem novidades

Mesmo a S-Pen agora teve uma atualização relacionada ao Windows graças ao novo sistema de conversão de letra de mão para “texto digitado”. Agora, quando você estiver digitando uma nota, o Note 10 tem a habilidade de converter seu garrancho em texto digital que pode ser salvado ou enviado para outros via mensagens, e-mail ou mesmo ser exportado para um documento do Word.

As novas Air Actions parecem meio bobas quando você fica balançando a caneta S-Pen para mudar entre os modos da câmera. Esperamos que desenvolvedores consigam encontrar mais usos para este recurso no futuro. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Além disso, a Samsung expandiu as habilidades da S-Pen com as novas Air Actions, que permitem que você controle seu telefone ao acenar com a S-Pen. Inicialmente, as Air Actions permitirão que você alterne entre os modos de câmeras ou dar zoom em uma cena, mas a Samsung informa que criará um Air Actions SDK, de modo que os desenvolvedores poderão utilizar estes gestos em outros apps.

Câmeras com mais recursos

Falando da câmera, além de ter um modo noturno mais poderoso, que estreou no Galaxy S10, o Note 10 ganhou uma série de novos recursos de vídeo.

Primeiro, tem o Live Focus Video, que possibilita o uso de efeitos do modo retrato ao gravar vídeos. O recurso Zoom-in Mic permite isolar e melhorar o som de algo em específico, apenas ao apontar a câmera para um objeto e dando zoom. Finalmente, o Note 10 renovou o modo Super Steady de modo que ele funcione tanto em vídeos convencionais como em hyper-lapse, para ajudar a eliminar o tremor em excesso das mãos.

Com o AR Doodle, todo mundo pode ter seus minutos de gatinho. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

E é claro, há também um novo modo AR Doodle que permite combinar a S-Pen com a tecnologia de realidade aumentada da Samsung. Assim, você pode fazer desenhos em um espaço 3D e então gravar sua criação em um vídeo. O AR Doodle usa reconhecimento facial, então você pode desenhar um chapéu ou um bigode em alguém, além de “grudar” esses desenhos no rosto da pessoa, caso ela olhe para o outro lado e volte a ser captada pela câmera.

Um celular também para games

Tem também as melhorias de games no Note 10. Um recurso que estou ansioso para testar é o que a Samsung chama Play Galaxy Link, que é um app de desktop que permite que você transmita games do PC para o Note 10 por meio de Wi-Fi ou rede móvel. Há vários games Android disponíveis, mas há novos títulos que não têm um equivalente móvel — mesmo que tenham sido desenvolvidos para funcionar em telas menores.

O Note 10 também vem com que a Samsung chama de a “câmara de vapor mais fina do mundo” que ajudará o telefone a controlar o máximo possível sua temperatura, caso o usuário necessite usar todo o processamento do aparelho. E como o Galaxy Tab S6, o Note 10 vem com o Game Booster aprimorado por inteligência artificial, que avalia qual tipo de game você está jogando e tenta preservar itens como bateria ou melhoria de desempenho naquele app em específico.

Fisicamente, a S-Pen do Note 10 não mudou nada em relação ao modelo do ano passado, tirando novas opções de cores. Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

Algo curioso das especificações do Note 10 é que, nos Estados Unidos, o smartphone virá com o chip Snapdragon 855 em vez do recém-anunciado Snapdragon 855 Plus. Uma fonte com conhecimento no assunto disse que a razão disso é que a Samsung precisa dos itens para smartphones futuros com bastante antecedência, e o Snapdragon 855 Plus simplesmente não estava pronto para o Note 10. No entanto, isso ainda coloca o Note 10 em uma posição esquisita de potencialmente ter uma performance geral inferior à do ROG Phone 2, da Asus.

Mesmo assim, com o Note 10, parece que a Samsung refinou e melhorou todos os aspectos do smartphone. Então, independente de você ser um gamer, ou apenas alguém que está tentando trabalhar usando o telefone, o Note 10 e o Note 10+ têm algo a oferecer, contanto que seu estômago consiga tolerar o preço sugerido por eles. Você já sabia disso, né? O fato é que esses smartphones não são baratos.

O preço também é grande

Foto: Sam Rutherford/Gizmodo

A versão menor do Note 10 tem preço sugerido de US$ 950, enquanto a versão maior de 6,8 polegadas, chamada de Note 10+, custará US$ 1.100. As pré-vendas começam nesta quinta-feira (8) nos Estados Unidos, com a venda no varejo iniciando em 23 de agosto. Para tornar as coisas melhores para os compradores, a Samsung oferecerá um crédito de US$ 100 para quem comprar o Note 10 e US$ 150 para o Note 10+.

Por fim, há também um Note 10+ 5G que será exclusivo da operadora norte-americana Verizon, que tem preço sugerido de US$ 1.300. Infelizmente, a Samsung não tinha nenhum Note 10+ 5G disponível, mas além da conexão, este modelo tem as mesmas especificações do Note 10+.

Especificações do Galaxy Note 10/Note 10+

  • Tela: 6,3 polegadas FullHD/6,8 polegadas Quad HD+
  • Câmeras traseiras: ultra-wide 16 MP f/2.2 (123 graus), wide-angle 12 MP f/1.5 e telefoto 12 MP (Note 10) e ultra-wide 16 MP f/2.2, wide-angle 12 MP, telefoto 12 MP e câmera DepthVision VGA (Note 10+)
  • Câmera frontal: 10 MP f/2.2 (80 graus)
  • Dimensões e peso: 71.8 x 151.0 x 7.9mm, 168g (Note 10) e 77.2 x 162.3 x 7.9mm, 196g (Note 10+)
  • Processador: 7nm 64 bit Octa-Core (Max. 2.7 GHz + 2.4 GHz + 1.9 GHz) ou (Max. 2.8 GHz + 2.4 GHz + 1.7 GHz)
  • Memórias: 8GB de RAM com 256 GB de armazenamento (Note 10) e 12 GB de RAM com opções de 256 GB ou 512 GB de armazenamento (Note 10+)
  • Chip: Dual SIM (Note 10) e Dual SIM híbrido, pode ser dois Nano Sim ou um slot microSD
  • Bateria: 3.500 mAh (Note 10) e 4.300 mAh (Note 10+)
  • Sistema: Android 9 Pie com One UI
  • Conexões: Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac/ax (2.4/5GHz), Bluetooth 5.0, NFC, GPS, USB tipo C
  • Pagamento: NFC e MST
  • Sensores: Acelerômetro, barômetro, sensor sob a tela ultrassônico, sensor geomagnético e sensor giroscópico
  • Autenticação: PIN, password, sensor de digital sob a tela e reconhecimento facial
  • Preço: US$ 950 (Note 10) e a partir de US$ 1.100 (Note 10+)