Não está fácil ser fabricante de TVs ultimamente.  A Phillips desistiu de fabricá-las e vendeu boa parte da divisão de televisores para a TP Vision. Sony, Panasonic e Sharp tiveram prejuízo recorde nos últimos meses, devido em grande parte às vendas fracas de TVs. O que as fabricantes vão fazer a respeito? Segurar os preços lá em cima.

O Wall Street Journal confirmou que Sony e Samsung vão exigir preço mínimo em seus televisores nos EUA:

Sony e Samsung confirmaram que começaram a aplicar a nova política no mês passado, mas se recusaram a dizer o que fariam caso as lojas não seguissem as regras. Pessoas próximas à indústria preveem que as fabricantes de TV cortariam o financiamento que elas em geral fornecem ao varejo para ajudar na propaganda de produtos novos, e poderiam até parar de enviar TVs aos varejistas que não seguirem a regra.

A exigência de preço mínimo nas TVs pode evitar o “showrooming”: consumidores que visitam uma loja física, dão uma olhada nos produtos, mas resolvem comprar na internet por menos – o preço deve ser igual nos dois casos, físico e online.

Para a Sony, pelo menos, não há dúvida que esta é uma tentativa de reverter os constantes prejuízos dos últimos anos. E no Brasil, parece que a Sony já tem essa política há anos. A motivação da Samsung é um pouco menos clara: as vendas e lucro da empresa estão muito bem, obrigado. Não está claro se a política vai se estender a outros países, como o Brasil.

A nova prática talvez irrite alguns consumidores, mas não é difícil imaginar que isto se torne uma tendência na indústria, uma tendência a qual simplesmente teremos que nos acostumar. Afinal, quando você comprou TV pela última vez? [Wall Street Journal via The Verge]