Quando o Instagram anunciou na semana passada que vai priorizar mais conteúdos em vídeo do que fotos estáticas, confesso que eu estava no grupo que não ficou muito animado com essa notícia. Mas parece que a rede social está se preparando para um futuro em que tudo (ou quase tudo) seja nesse formato. Até para ser usado em currículos.

Esse é um teste em andamento no TikTok, que nesta quarta-feira (7) lançou um programa piloto que permite aos usuários se candidatarem a vagas de emprego por meio de vídeos criados na plataforma. As oportunidades, por enquanto disponíveis apenas nos Estados Unidos, são para cargos de entrada até o nível sênior, e já possuem adesão de mais de 30 empresas.

Basicamente, o recurso — batizado de TikTok Resumes — funciona como se o usuário fosse publicar um vídeo no feed do TikTok. A diferença é que o conteúdo é enviado diretamente para recrutadores responsáveis pelos perfis da companhia na rede social. O TikTok recomenda que o usuário não inclua informações pessoais no vídeo, e que este sirva apenas como uma forma de se apresentar para as empresas.

As vagas abertas por meio do TikTok Resumes são válidas até o dia 31 de julho. Sem grandes surpresas, a maioria delas é destinada para gerar conteúdo para o próprio TikTok. Entre as oportunidades há vagas para produtor, analista de redes sociais e operador de câmera. Há ainda vagas menos focadas na plataforma de vídeos, incluindo engenheiro de dados e funcionários para trabalhar em lojas e galpões.

Segundo o The Verge, o programa piloto de vagas pelo TikTok é temporário. Porém, a ideia da companhia é expandir a função para uma plataforma mais completa, que incluiria dicas e treinamentos completos de como se tornar um criador de conteúdo, mesmo para quem não for trabalhar com isso.

Assine a newsletter do Gizmodo

Claramente, é uma novidade mais focada nos usuários assíduos do TikTok e também na tal Geração Z. Pode ser algo muito bem-vindo, ainda mais por conta das incertezas causadas pela pandemia de Covid-19 na população jovem. Por outro lado, imagina se essa moda pega e, em vez daquele processo seletivo mais comum, você tenha que enviar um vídeo seu se apresentando? Só espero que não exijam dancinha.

[The Verge, Engadget]