Por mais impressionante que seja a tecnologia FaceID da Apple, quando foi introduzida pela primeira vez no iPhone X em 2017, muitos ainda criticavam a perda do Touch ID, um recurso que não foi incluído em nenhum dos novos iPhones nos últimos dois anos. No entanto, de acordo com um novo relato de um dos analistas da Apple mais respeitados do mundo, o Touch ID poderá retornar aos iPhones em 2021.

De acordo com Ming-Chi Kuo (via 9to5Mac), a Apple lançará um iPhone em 2021 com o Face ID e o TouchID no mesmo dispositivo. A principal mudança para 2021 é que, em vez de construir um sensor de impressões digitais no agora extinto botão Home, Kuo diz que a Apple usará um leitor de impressões digitais embutido diretamente na tela do iPhone.

No entanto, em vez de confiar em sensores óticos um pouco menos seguros como os usados ​​no OnePlus 7 Pro, Kuo afirma que o futuro sensor Touch ID da tela da Apple provavelmente será baseado em um dos leitores ultrassônicos de impressão digital da Qualcomm, que são similares ao que a Samsung usa no Galaxy S10.

Kuo diz que, anteriormente, questões como o consumo de energia, o tamanho da área de detecção, a espessura do módulo e os baixos rendimentos de produção dos sensores ultrassônicos são o motivo pelo qual a Apple não incorporou a tecnologia aos modelos atuais do iPhone – problemas que deveriam ser totalmente abordada até 2021.

Anteriormente, a Apple registrou patentes relativas a sensores de impressões digitais na tela, incluindo um documento do início do ano que propunha a ideia de um leitor de impressões digitais na tela que pudesse fazer uma varredura de praticamente qualquer lugar da tela, ao contrário dos aparelhos atuais com sensores limitado a minúsculas caixas normalmente localizadas na parte inferior da tela de um dispositivo.

E enquanto Kuo não fez nenhuma previsão concreta sobre o Touch ID sendo adicionado a outros dispositivos da Apple, ele também disse que o desenvolvimento da tecnologia de sensor de impressão na tela torna “mais provável” que o Touch ID possa entrar no Apple Watch em vez de uma biometria de Face ID baseada em câmera.

De qualquer forma, trazer de volta o Touch ID através de um sensor de impressão digital na tela seria uma adição bem-vinda. Isso porque, embora o Face ID tenha se tornado rapidamente um dos recursos mais apreciados do iPhone, ele não é um método de autenticação ideal em várias situações, como tentar desbloquear seu telefone enquanto ele está sobre uma mesa ou quando você está usando óculos escuros.

E com a indústria de tecnologia se movendo gradualmente em direção à eliminação de senhas tradicionais, a capacidade de ter tanto a identificação por reconhecimento facial quanto por impressão digital no mesmo dispositivo pode ser útil como uma forma segura de autenticação local de dois fatores. Por fim, para aqueles que simplesmente não gostam ou confiam na tecnologia de reconhecimento facial, o retorno do Touch ID pode servir como uma forma alternativa, mas ainda assim segura, de fazer login em aplicativos ou fazer compras online usando uma conta da Apple.

Ainda assim, 2021 ainda está longe e, como sempre, predições como essas não são definitivas. Então, se você está pensando em comprar um novo aparelho em breve, provavelmente é melhor não arriscar esperar por mais dois anos.