Todos os anos, os grandes fabricantes lançam novos modelos de celulares no mercado, prometendo as mais recentes tecnologias e recursos, incentivando os usuários a trocarem de aparelho.

Entretanto, por mais que exista o vilão da “obsolescência programada”, isso não significa necessariamente que os usuários precisem trocar de aparelho todos os anos.

Modelos mais recentes de smartphones estão equipados com o que há de mais novo em tecnologia, oferecendo construção, desempenho e autonomia excepcionais, que podem durar por anos.

Por isso, aqui estão alguns pontos a considerar antes de querer trocar seu aparelho. As dicas servem para que você pondere. Vale a pena trocar já o celular, ainda antes do Natal, ou é melhor esperar o ano que vem para “ver qual é”?

Aparelho lento e bateria que rápido demais

Sim, a lentidão de um celular é frustrante e pode ser o primeiro sinal de que está na hora de trocar de dispositivo.

Entretanto, antes de sair comprando um aparelho, experimente trocar a bateria do mesmo. O procedimento custa uma pequena fração de um celular novo e tem o potencial de não apenas aumentar a autonomia, mas também acelerar o desempenho.

Falta de memória

Com a popularização do uso das câmeras, um dos maiores problemas dos usuários é o armazenamento dessas imagens.

Se as fotos não são tão importantes para você, experimente fazer uma limpa a cada três ou seis meses no celular, apagando o que não tem serventia.

Agora, se você precisa mesmo dessas imagens, compre um cartão de memória maior (se o seu celular oferece essa opção) ou pense na possibilidade de migrar esses arquivos para um HD externo ou mesmo para as nuvens do Google Drive ou iCloud.

Tela quebrada

Por ser portátil, os aparelhos são suscetíveis às quedas. Se você já usa película e capas antiquedas, já está dando um passo para ampliar a vida útil do smartphone.

Porém, se mesmo assim a tela trincou, quebrou ou não está funcionando como deveria – vale a pena procurar uma assistência para a troca dela.

De forma geral, se o conserto da tela custa menos da metade de um telefone novo, a troca ainda vale a pena. O mesmo vale para qualquer outra manutenção que você precise fazer no celular.

A câmera está ruim

A cada ano que passa, as câmeras dos celulares ficam cada vez melhores, algumas com qualidade comparável a equipamentos de fotografia profissional.

Por isso, se as suas fotos parecem granuladas, com falta de brilho e sem cores nas imagens, a troca do aparelho é uma opção.

Hoje em dia, até os telefones modernos de entrada já possuem boas câmeras. É claro, se você trabalha com imagens, o recomendado é procurar pelos modelos intermediários ou top de linha.

Quanto mais megapixels, melhor é a resolução. Boa parte dos telefones têm até 20 megapixels, o que significa que eles tiram fotos tão bem quanto muitas câmeras digitais mais recentes, com imagens claras e nítidas.

Falta de atualização

Esse sim, é um item que precisa ser verificado com cautela. Regularmente, as fabricantes disponibilizam atualizações do sistema, que ampliam os recursos do celular, assim como corrigem bugs e erros de segurança.

Se o seu telefone não recebe atualizações há vários anos, é sinal que a fabricante não oferece mais suporte técnico ao aparelho. Isso é um grande sinal de alerta, pois um aparelho desatualizado pode ser um risco para ataques hackers e potenciais vazamentos dos seus dados pessoais. Nesses casos, a troca é recomendada.

Uma dica extra é, antes de comprar o novo aparelho, pesquisar até quando a fabricante promete oferecer atualizações para o celular.