O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu à matriz da TikTok, Bytedance, 90 dias para encontrar um comprador para as operações do app nos EUA, declarando em uma ordem executiva expedida nesta sexta-feira (14) que há “provas confiáveis” de que o gigante tecnológico chinês “poderia tomar medidas que ameaçam prejudicar a segurança nacional dos EUA”.

A Casa Branca tem repetidamente sugerido que o TikTok poderia vazar dados de usuários americanos para o governo chinês – acusações que a empresa nega veementemente.

Em seu pedido na semana passada, Trump inicialmente deu a Bytedance e Tencent (a empresa com sede na China que desenvolve o aplicativo WeChat, entre outros serviços populares) um prazo de 45 dias antes que todas as transações americanas entre eles e suas subsidiárias se tornassem ilegais.

Um dos advogados da TikTok disse posteriormente à NPR que a empresa está se preparando para entrar com uma ação judicial contestando a proibição como inconstitucional, afirmando que as alegações são infundadas e que a administração Trump não lhes deu uma chance de resposta antes de serem incluído nessa lista de restrições.

Com esta última ordem executiva vêm várias novas estipulações: a Bytedance deve eliminar todos os dados de usuários americanos coletados tanto pelo TikTok como de seu aplicativo precursor, Musical.ly, que a empresa comprou em 2017, e notificar formalmente o Comitê de Investimentos Estrangeiros (CFIUS) uma vez que os dados tenham sido destruídos.

“O CFIUS conduziu uma análise exaustiva do caso e recomendou unanimemente esta ação ao presidente a fim de proteger os usuários dos EUA da exploração de seus dados pessoais”, disse o Secretário do Tesour, Steven Mnuchin, em uma declaração à NPR.

Esta extensão dá a Bytedance mais tempo para negociar a transferência das operações americanas de seu popular aplicativo de vídeos. Tanto a Microsoft quanto o Twitter expressaram interesse em adquirir o TikTok, um acordo que provavelmente ficará na casa dos bilhões de dólares, e Trump chegou a dizer que o Tesouro dos EUA deveria receber uma parte do dinheiro.

Não está claro como esta nova ordem executiva pode afetar as negociações em andamento, ou exatamente quais “provas confiáveis” a administração aparentemente agora tem para apoiar as especulações sobre o TikTok ser uma marionete de Pequim – até agora eles não apresentaram nada mais sólido.

Nos últimos meses, o TikTok tem feito vários movimentos para se distanciar da Bytedance numa tentativa de amenizar os tipos de preocupações de segurança nacional cobradas pela administração Trump, e a empresa afirma que todos os dados de os usuários americanos são armazenados em servidores nos EUA e em Cingapura.