Mudanças estão chegando ao Google Drive e vão afetar a maneira como você compartilha, faz backup e gerencia os arquivos na nuvem da Google. Se você usa o sistema de armazenamento online da gigante de buscas, acompanhe neste artigo tudo o que você precisa saber sobre as atualizações mais recentes e também o que você precisa fazer a respeito.

Google Drive

Atualizações de segurança para arquivos compartilhados

Para começar, o Google está mudando a forma como certos arquivos e pastas compartilhados funcionam no Drive — ou, para ser mais exato, fez a mudança em 2017 e agora a está aplicando totalmente a todos os arquivos da sua nuvem. Isso significa que alguns de seus links compartilhados mais antigos podem começar a falhar para algumas pessoas a partir de agora.

Toda vez que você compartilha algo no Google Drive, pode fazê-lo com um usuário específico por meio de sua conta Google ou pode gerar um link. Qualquer pessoa em posse do link poderá acessar o arquivo ou a pasta. É conveniente, mas não é totalmente seguro. Há um risco (ainda que pequeno) de que esses links sem atribuição de usuário possam ser adivinhados.

Contudo, não é de hoje que as mudanças estão acontecendo. Desde 2017, os links adicionaram recurso especial como uma espécie de chave que, essencialmente, torna a adivinhação de um link do Google Drive mais difícil. A partir de 13 de setembro, os links compartilhados de arquivos e pastas gerados antes da mudança de 2017 terão essas chaves adicionadas a eles, o que significa que podem parar de funcionar em alguns casos.

Destaco aqui alguns pontos de atenção: Documentos (Google Docs), Planilhas (Google Sheets), Apresentações (Google Slides) e Formulários (Google Forms) não serão afetados. Pessoas que já usaram esses links de compartilhamento antigos ainda terão acesso. No entanto, se você estiver reutilizando links antigos com pessoas novas, você terá problemas.

Como ver arquivos compartilhados afetados

Ao fazer login no Google Drive usando um navegador web, você verá uma mensagem sobre isso (talvez você também tenha recebido um aviso por e-mail). Clique em “Ver arquivos” para ver uma lista de compartilhamentos afetados ou apenas abra este link no navegador. Você também poderá ver se a atualização de segurança já foi aplicada a cada um deles (e removê-la, se precisar preservar o acesso usando o link antigo por qualquer motivo que seja).

Digitar is: security_update_applied e is: security_update_applied type: folder no Google Drive é outra maneira de ver se seus arquivos e pastas foram atualizados antes do prazo de 13 de setembro. O documento de suporte do Google explica tudo isso em mais detalhes aqui.

Google Drive para Desktop

Como se uma atualização de segurança generalizada não fosse empolgante o suficiente, o Google também está lançando um novo aplicativo do Google Drive para Windows e macOS, substituindo a antiga ferramenta Backup e Sincronização (Backup & Sync) que você pode ou não ter usado (e era uma substituição para uma ferramenta ainda mais antiga, há quatro anos).

O novo software torna mais fácil do que nunca acessar seus arquivos do Drive a partir da Área de Trabalho. Você pode manter alguns ou todos eles armazenados localmente, o que é útil para arquivos maiores e se houver um problema com a sua conexão com a internet. Você pode fazer upload de arquivos rapidamente como fotos e vídeos de seu computador para a nuvem.

Se você só usa o Google Drive por meio de um navegador, pode continuar como sempre fez, mas a nova ferramenta da área de trabalho coloca seus arquivos diretamente no File Explorer (Gerenciador de Arquivos) ou Finder (Localizador), para que você possa visualizá-los e editá-los como faria com documentos armazenado localmente. Você também pode fazer backup de pastas específicas no Google Drive, incluindo aquelas em unidades externas.

Você pode baixar o novo software do Google Drive para Desktop no post do blog oficial do Google que anuncia o seu lançamento. Você será conduzido ao passo a passo pelo processo de configuração, que não envolve muito mais do que fazer login em sua conta do Google.

Depois de instalar o programa, você verá que há duas telas principais na interface: uma para empacotar as pastas do seu computador local (e qualquer outra unidade externa conectada) e outra para definir como os arquivos já armazenados no Google Drive serão sincronizados com o Windows ou o macOS. Um dos benefícios do novo programa para computadores é que você pode instalá-lo em quantas máquinas quiser e visualizar seus arquivos de qualquer lugar.

Assine a newsletter do Gizmodo

Na guia Google Drive, a opção “Stream files” está selecionada por padrão. Na verdade, seus arquivos não são armazenados localmente, mas aparecem no File Explorer e no Finder e podem ser baixados temporariamente conforme necessário. Você também pode determinar arquivos e pastas específicos que sempre são armazenados localmente no computador.

A outra opção, “Mirror files”, significa que tudo no Google Drive também está salvo na pasta do Google Drive no Windows ou no macOS, o que é melhor para sincronizar com frequência ou usar seu computador sem uma rede Wi-Fi, se o seu HD não for o espaço de armazenamento.