Um usuário do Twitter relatou na quinta-feira (31) que, depois de sinalizar um tuíte abusivo, ele recebeu uma mensagem da rede social explicando que eles não podiam terminar de revisar o conteúdo para identificar possíveis violações dos Termos de Serviço até que “a pessoa diretamente afetada” pelo abuso o denunciasse.

Em resumo, se você vir alguém insultando seu amigo, o Twitter não sinalizará o conteúdo até que seu amigo – e não você – denuncie o tuíte. O que parece implicar, como tuitou o usuário Jamie McGonnnigal, que “tudo bem alguém usar discurso de ódio, desde que não seja direcionado a você”.

Tradução: Para sua informação, o Twitter não permite mais denunciar posts homofóbicos/racistas/ofensivos a pessoas com deficiência/sexistas a menos que você esteja sendo diretamente atacado no tuíte. Você ainda pode denunciar, mas eles agora enviam essa mensagem. Então, tudo bem alguém usar discurso de ódio, desde que não seja direcionado a você”.

De acordo com suas regras, o Twitter define abuso como “uma tentativa de assediar, intimidar ou silenciar a voz de outra pessoa”, embora qualquer ameaça, com base na “inclusão em uma categoria protegida”, ou seja, raça, orientação sexual, gênero etc., é considerada conteúdo odioso.

Ambos são proibidos na plataforma. No primeiro semestre deste ano, os usuários denunciaram 4,5 milhões de “contas únicas” por abuso e outros 5 milhões por conteúdo odioso, de acordo com o último relatório semestral de transparência do Twitter.

O Twitter não respondeu imediatamente às perguntas do Gizmodo, portanto, não está claro se essa é uma política para toda a plataforma ou uma resposta específica direcionada ao tuíte relatado. Ultimamente, o Twitter vem adicionando muitas mudanças na área de publicidade, e não é preciso um grande palpite para pensar que isso possa se aplicar em toda a plataforma: quando você denuncia um tuíte por conteúdo abusivo, é solicitado que você selecione se é direcionado a você mesmo, a alguém que você representa legalmente ou a outros. Portanto, o Twitter já possui a infraestrutura para filtrar as denúncias com base em se elas afetam ou não o usuário.

Infelizmente, seus termos de serviço oferecem algumas orientações confusas sobre o assunto. Veja este parágrafo abaixo, por exemplo:

“Alguns tuítes podem parecer abusivos quando vistos isoladamente, mas podem não ser no contexto de uma conversa maior. Quando analisamos esse tipo de conteúdo, pode não estar claro se ele pretende assediar um indivíduo ou se faz parte de uma conversa consensual. Para ajudar nossas equipes a entender o contexto de uma conversa, talvez seja necessário ouvir diretamente a pessoa a quem o conteúdo está sendo direcionado, para garantir que tenhamos as informações necessárias antes de tomar qualquer medida”.

É ridiculamente vago, o que pode ser intencional, uma vez que representa mais um obstáculo para os usuários conseguirem sinalizar com sucesso um abuso ou assédio. O próprio Twitter é construído em torno de gritar no vazio da Internet, então, por definição, tudo o que for publicado pode ser considerado parte de uma conversa maior. Essa política também parece condescendente com o usuário que denuncia o conteúdo, como se o Twitter estivesse argumentando que a pessoa simplesmente não entendeu a brincadeira ou referência.

Além disso, na mesma página de Termos de Serviço, o Twitter afirma que “revisamos tanto as denúncias feitas pelas pessoas afetadas diretamente e por espectadores de tal conteúdo”, o que parece contradizer tudo isso. Embora eu não ficasse surpresa se o Twitter argumentasse que, tecnicamente, mesmo uma revisão inacabada ainda conta como revisão.

Ironicamente, subtítulos nos regulamentos do Twitter simplificam a questão com frases do tipo “Como ajudar alguém que está sofrendo abuso online”, “Não seja apenas um espectador” e “Denuncie conteúdos a nós”.

“Quando uma conta estiver particularmente assediando ou ameaçando, entre em contato conosco denunciando a conta ou os tuítes. Isso levará algumas etapas e sua denúncia nos ajudará a tornar o Twitter um lugar melhor”, diz os Termos de Serviço do Twitter. Vou esperar ansiosamente que eles adicionem um asterisco um pouco maior depois disso.